PUBLICIDADE
Topo

Internacional

López Obrador diz que protegerá direitos de migrantes após mudanças nos EUA

21/12/2018 13h37

Cidade México, 21 dez (EFE).- O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, afirmou nesta sexta-feira que sempre protegerá os direitos humanos dos migrantes, após a medida adotada pelo governo americano de devolver estrangeiros ao país vizinho para que aguardem lá o desenrolar do seu processo de pedido de asilo nos Estados Unidos.

"Queremos manter uma relação de entendimento e amizade com o governo dos EUA, mas ao mesmo tempo defender os princípios da política externa do México", disse López Obrador em entrevista coletiva.

O presidente mexicano ressaltou que esta política externa consiste em "ser defensores de direitos humanos e o tempo todo dar proteção aos migrantes".

O governo do presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou ontem que devolverá ao México os imigrantes que entrarem no país irregularmente pela fronteira comum, entre eles os solicitantes de asilo, enquanto seus procedimentos migratórios são tramitados.

Diante deste quadro, o México disse que, em resposta "soberana", aceitaria e daria assistência a estes migrantes, inclusive com vistos de trabalho.

Na mesma coletiva, o chanceler do México, Marcelo Ebrard, ressaltou que seu país, diante das novas medidas dos EUA, se encontra na posição de "aceitar ou deportar" os migrantes, a maioria centro-americanos.

"Não é a intenção do México deportar estas pessoas. Se assim fosse, já teria sido feito", disse Ebrard.

De acordo com o subsecretário de Direitos Humanos do Ministério de Governo, Alejandro Encinas, atualmente há 4 mil migrantes centro-americanos em Tijuana pertencentes às caravanas que há dois meses atravessam o México com o objetivo de chegar aos EUA.

Sobre as solicitações de refúgio no México, Encinas disse que desde o governo anterior foram acumuladas mais de 28 mil. EFE

Internacional