PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Maduro pede 20 anos de prisão para manifestantes violentos na Venezuela

23.jan.2019 - Manifestante fica ferido mostra marcas de balas de borracha disparadas pelas tropas de choque durante protesto contra o governo de Nicolás Maduro, em Caracas, na Venezuela - Federico Parra/AFP
23.jan.2019 - Manifestante fica ferido mostra marcas de balas de borracha disparadas pelas tropas de choque durante protesto contra o governo de Nicolás Maduro, em Caracas, na Venezuela Imagem: Federico Parra/AFP

26/01/2019 06h09

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu na sexta-feira (25), 20 anos na prisão aos manifestantes que cometerem atos de vandalismo e afirmou que a oposição está por trás da violência desencadeada nesta semana em meio aos protestos contra o governo.

"Pedi ao procurador-geral (Tarek William Saab) que aplique pena máxima de 20 anos de prisão a quem for pego na rua, queimando, agredindo e executando atos de vandalismo que são pagos com dólares", disse.

ONGs afirmam que os protestos desta semana, que ocorreram especialmente em áreas pobres do país e quase sempre à noite, deixaram 26 mortos, vários feridos e quase 400 detidos, mas até agora as autoridades não confirmaram esses números.

"Efetivamente, na noite do dia 23 de janeiro, houve atos de vandalismo por grupos pagos pela extrema direita que está dando o golpe de Estado na Venezuela", disse Maduro, referindo-se à oposição que mobilizou centenas de milhares naquele dia.

O líder chavista disse que em meio a esses protestos um homem foi "queimado vivo em um ponto onde havia um grupo de agressores da oposição gritando palavras de ordem" e que outro homem foi retirado do caminhão onde estava e viu colocarem fogo no veículo.

As ONGs culpam as forças da ordem por essas mortes e alegam que as vítimas foram feridas com armas de fogo em todos os casos. 

Internacional