PUBLICIDADE
Topo

Grupo autodenominado IRA reivindica autoria de atentado na Irlanda do Norte

29/01/2019 14h15

Dublin, 29 jan (EFE).- Um grupo dissidente do já inativo Exército Republicano Irlandês (IRA, na sigla em inglês) reivindicou nesta terça-feira a autoria de um atentado com carro-bomba cometido em 19 de janeiro na cidade de Derry, no oeste da Irlanda do Norte.

Em comunicado enviado ao jornal local "Derry Journal", um grupo armado que se autodenomina "IRA" assumiu responsabilidade pela explosão ocorrida naquele sábado, às 20h10 locais, em pleno centro da segunda maior cidade da província britânica, após fazer um alerta 15 minutos antes.

Ninguém ficou ferido na ação terrorista, mas a polícia norte-irlandesa (PSNI) teve que retirar várias pessoas de um hotel e de um clube juvenil próximo, e advertiu que não houve mortos "por milagre".

O grupo dissidente do IRA advertiu na nota que seguirá "atacando" as forças "(de segurança) da coroa (britânica), seu pessoal e sua política imperialista".

"Também avisamos aos que colaboram com os britânicos que deixem de fazê-lo imediatamente, pois não faremos mais advertências", afirmou a organização paramilitar no comunicado.

Depois do atentado, a PSNI ativou durante mais dois dias vários alertas de segurança em Derry, diante da possibilidade de outros ataques, e prendeu cinco indivíduos que já foram libertados sem acusações.

A ação terrorista aconteceu em um momento de grande tensão no Reino Unido por causa do Brexit, especialmente devido aos esforços para impedir que a saída do país da União Europeia (UE) obrigue o estabelecimento de uma fronteira física com a República da Irlanda, algo visto como prejudicial para o processo de paz na província.

"Todo este falatório sobre o Brexit, fronteiras duras, fronteiras fracas, não têm nada a ver com nossas ações e o IRA não vai desaparecer. Nossa luta continua", declararam os dissidentes no comunicado.

Em um princípio, a PSNI atribuiu o ataque em Derry e os alertas de segurança às atividades do grupo chamado "Novo IRA", e ressaltou que as suas investigações se concentrariam neste grupo.

O Novo IRA é formado por três grupos terroristas que em julho de 2012 anunciaram que tinham unido forças para seguir com a luta armada em prol da independência do antigo braço paramilitar do partido Sinn Féin, conhecido também como o IRA Provisório (PIRA), já inativo.

O Novo IRA, segundo as forças de segurança, é formado principalmente por membros do IRA Autêntico (RIRA), que resultou da cisão do PIRA em 1997. EFE