PUBLICIDADE
Topo

Pelosi acusa Trump de obstruir justiça e avalia pedido de impeachment

09/05/2019 13h02

Washington, 9 mai (EFE).- A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, acusou nesta quinta-feira o presidente Donald Trump de obstruir a Justiça "a cada dia" e disse estar avaliando a ideia de colocar em votação no Congresso um pedido de impeachment para tirá-lo do poder.

"Um julgamento político dever ter muita base na Constituição, mas Trump está demonstrando a cada dia mais obstrução à Justiça e falta de respeito com o papel legítimo do Congresso para fazer convocações", disse Pelosi em entrevista coletiva.

Até agora, Pelosi tinha tomado distância da ideia de iniciar um impeachment contra Trump, uma iniciativa que os setores mais progressistas do Partido Democrata vêm insinuando há meses.

No entanto, a líder democrata considerou que atualmente existe um "efeito acumulativo de obstrução no qual o governo Trump está envolvido".

Pelosi se referia ao fato de a Casa Branca ter invocado nesta semana o privilégio executivo de proibir que um de seus ex-conselheiros, o advogado Don McGahn, cumprisse com uma convocação do Congresso para proporcionar documentos relacionados com a investigação do procurador especial, Robert Mueller.

Além disso, Trump recorreu nesta quarta-feira a esse poder executivo para bloquear o pedido da oposição democrata de acesso à versão completa do relatório de Mueller sobre o caso de um possível complô da campanha de Trump com o governo da Rússia para influenciar nas eleições presidenciais americanas de 2016, em um novo desafio aos legisladores que pode acabar nos tribunais.

"Este governo não respeita a separação de poderes e não honra os juramentos a seus cargos", disse Pelosi.

A acusação de "obstrução à Justiça" esteve por trás da tentativa de impeachment contra Bill Clinton (1993-2001) e da renúncia de Richard Nixon (1969-1974), que deixou a Casa Branca diante da certeza de que enfrentaria um processo deste tipo.

A líder democrata explicou que as comissões de Supervisão e de Justiça da Câmara de Representantes "vão acompanhar os fatos" e farão "o correto" a respeito de um possível pedido de impeachment.

"Não tem nada a ver com política. Nós não estamos indo mais rápido ou mais devagar do que os fatos nos levam", insistiu Pelosi.

Nesse sentido, a congressista lembrou que a renúncia de Nixon aconteceu "depois de meses de investigações e convocações" no Congresso, até que se chegou a um argumento que convenceu "até mesmo os republicanos".

Em suas declarações, Pelosi reconheceu que o julgamento político "é uma das coisas mais divisivas que podem ser feitas", mas opinou que os americanos "devem saber a verdade". EFE

Internacional