Topo

Xi visita Pyongyang com expectativa de estimular diálogo sobre o desarmamento

Ed JONES / AFP
Dois homens seguram a bandeira da Coreia do Norte e da China, respectivamente, a espera da visita do presidente da China, Xi Jinping Imagem: Ed JONES / AFP

2019-06-20T04:38:00

20/06/2019 04h38

O presidente da China, Xi Jinping, aterrissou nesta quinta-feira no Aeroporto de Sunan, em Pyongyang, em sua primeira viagem à Coreia do Norte e uma reunião marcada pela possibilidade que sua cúpula com o líder do país, Kim Jong-un, ajude a reativar o diálogo sobre desnuclearização.

O Boeing 747 da Air China que transportou o Xi pousou em Sunan às 11h40 (hora local), segundo o "Diário do Povo", o principal jornal estatal chinês, iniciando sua visita de dois dias à capital norte-coreana.

Imagens transmitidas pela emissora sul-coreana "YTN" mostraram a aeronave na pista de Sunan e autoridades preparando o desembarque do presidente chinês.

Como é comum nos dois governos, a agenda exata da visita é desconhecida, mas esperava-se que Kim recebesse Xi com uma cerimônia que deveria incluir a guarda de honra.

Depois disso, ele foi levado para o local onde ficará hospedado durante a viagem, Baekhwawon, a residência para convidados de alta categoria estatal onde pernoitaram três presidentes sul-coreanos, além de Hu Jintao (em 2005, quando ocorreu a última visita de um presidente chinês) ou o americano Jimmy Carter, já como ex-presidente.

Não se sabe se a cúpula entre Kim e Xi acontecerá hoje ou amanhã.

No entanto, sabe-se que Xi visitará a Torre da Amizade Sino-Coreana, um monumento localizado muito perto da embaixada chinesa em Pyongyang.

Esta é a primeira visita de Xi à Coreia do Norte desde que chegou à presidência, em 2013.

Acredita-se que sua visita possa impulsionar o diálogo sobre a desnuclearização da península coreana após a fracassada cúpula de Hanói.

Em um artigo de opinião publicado ontem no principal jornal norte-coreano, o líder chinês disse que sua viagem contribuirá para "progredir" nesse sentido e considerou "razoável" a posição de Pyongyang em termos de desarmamento.

Mais Internacional