PUBLICIDADE
Topo

Argentina chega a 500 mortes por coronavírus, com 8 nas últimas horas

Mulher caminha em uma Plaza de Mayo vazia durante quarentena em Buenos Aires, na Argentina, por conta do coronavírus - Mariano Gabriel Sanchez/Anadolu Agency via Getty Images
Mulher caminha em uma Plaza de Mayo vazia durante quarentena em Buenos Aires, na Argentina, por conta do coronavírus Imagem: Mariano Gabriel Sanchez/Anadolu Agency via Getty Images

28/05/2020 14h01

A Argentina chegou a 500 mortes por coronavírus desde o começo da pandemia no país, depois de ter havido oito novos óbitos nas últimas 24 horas, enquanto houve mais 706 notificações de pessoas infectadas, o que elevou o total a 13.933.

O relatório diário divulgado pelo Ministério da Saúde informa que os óbitos verificados de ontem para hoje correspondem a quatro homens e quatro mulheres, com idades entre 60 e 95 anos, entre moradores das províncias de Buenos Aires e Chaco, no norte do país vizinho.

Entre os casos já reportados em território argentino, 961 são importados, 6.091 são contatos próximos de pessoas infectadas anteriormente, 4.694 são de circulação comunitária e 2.187 estão sob investigação epidemiológica.

Fontes oficiais informaram hoje que 250 pessoas foram internadas em unidades de terapia intensiva, enquanto 4.349 pacientes tiveram alta.

Até agora, na Argentina, onde as medidas de isolamento estão em vigor desde 20 de março, foram realizados 140.218 testes para detectar o vírus, com uma taxa de 3.090 testes por milhão de habitantes.

A secretária de Acesso à Saúde da Argentina, Carla Vizzotti, salientou nesta quarta-feira que a maioria dos novos casos relatados está concentrada na cidade de Buenos Aires e nas cidades ao redor, e observou que a taxa de positividade dos testes é muito maior nesses locais do que no restante do país.

"Na região metropolitana (de Buenos Aires) precisamos intensificar a detecção precoce, o isolamento e o cuidado das pessoas com coronavírus confirmado", destacou.

Coronavírus