PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
5 meses

Comitê recomenda que vacina da Janssen volte a ser aplicada nos EUA

Vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a covid-19 é aplicada em dose única - KAMIL KRZACZYNSKI / AFP
Vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a covid-19 é aplicada em dose única Imagem: KAMIL KRZACZYNSKI / AFP

23/04/2021 23h41Atualizada em 24/04/2021 09h53

Washington, 23 abr (EFE).- Um comitê consultivo do CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos) recomendou nesta sexta-feira (23) que seja retomada a aplicação da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a covid-19.

A recomendação vai orientar as autoridades de saúde americanas sobre o que fazer a partir de agora com essa vacina, cujo uso foi praticamente suspenso desde que o governo dos EUA recomendou uma pausa em 13 de abril após a detecção de seis casos de trombose cerebral em mulheres que a receberam.

Os 15 especialistas do ACIP (Comitê Consultivo de Práticas de Imunização) do CDC realizaram uma votação que teve placar de 10 votos a favor da retomada da vacinação, quatro contra e uma abstenção.

Apesar do sinal verde, eles disseram que a vacina deveria ser acompanhada por um aviso no rótulo sobre possíveis riscos à saúde.

Antes de votarem, os cientistas avaliaram quatro opções para atualizar a recomendação sobre a vacina. Até esta sexta-feira já tinham sido detectados 15 casos de mulheres de diferentes idades que desenvolveram coágulos —em sua maioria trombose cerebral -, sendo que três delas morreram.

As alternativas variaram de desencorajar completamente o uso até recomendá-lo para todas as idades e sexos, o que por fim foi decidido, mas com a colocação de uma advertência.

As outras duas opções eram avisar às mulheres com menos de 50 anos sobre os possíveis riscos de trombose cerebral e sugerir sua administração somente a adultos de ambos os sexos acima dessa idade.

A maioria dos pacientes que desenvolveram trombose após serem vacinados está na casa dos 30 anos, embora tenha havido casos em mulheres de 18 a 59 anos. Com exceção de dois, os outros tinham menos de 50 anos de idade.

Durante a reunião, um dos especialistas mencionou que pode haver casos potenciais de coágulos em homens vacinados, embora isso ainda não tenha sido confirmado.

A recomendação da ACIP deve agora ser assinada pela diretora do CDC, Rochelle Walensky, antes que a FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos) dos EUA possa fazer qualquer mudança no rótulo da vacina da J&J.

Também participaram da reunião do comitê representantes da J&J, que disseram antes da votação ter concordado com a colocação de um aviso no rótulo de que há risco de a vacina provocar coágulos de sangue.

Coronavírus