PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Argentina completa vacinação com uma dose em toda população prioritária

Na Argentina já foram aplicadas 18.380.675 doses; 32% da população recebeu pelo menos uma dose de imunizantes - Hannah Beier/Reuters
Na Argentina já foram aplicadas 18.380.675 doses; 32% da população recebeu pelo menos uma dose de imunizantes Imagem: Hannah Beier/Reuters

22/06/2021 14h33

A campanha de vacinação contra a covid-19 na Argentina atingiu toda a população prioritária com uma dose aplicada, representando um total de 13,5 milhões de pessoas, afirmou nesta terça-feira a ministra da Saúde, Carla Vizzotti.

Todos os profissionais da saúde receberam pelo menos uma dose das vacinas disponíveis, assim como 90% dos maiores de 60 anos, dos quais 30% foram inoculados com as duas doses necessárias para a imunização completa.

Desde que o país iniciou a campanha de vacinação, em dezembro de 2020, já foram aplicadas 18.380.675 doses e 32% da população argentina recebeu pelo menos uma dose.

No total, o país recebeu 22,5 milhões de doses de diversos fornecedores e, segundo a ministra, esse número continuará aumentando e nesta semana ultrapassará os 25 milhões.

"Vamos continuar trazendo todas as doses necessárias para cumprir todas as programações. A certeza é quando o fornecedor nos informa que está disponível com controle de qualidade e pronto para retirar. A prioridade da Argentina é indiscutível. Não é necessário que cheguem cinco milhões de doses juntas porque os intervalos se baseiam no início dos calendários de vacinação", disse a ministra em entrevista coletiva.

Hoje está prevista a chegada de 768 mil doses da vacina chinesa Sinopharm, enquanto outras 464 mil unidades chegarão amanhã, e o fornecimento de 1.181.500 doses da AstraZeneca está previsto para sexta-feira.

Sobre a situação epidemiológica do país, que segue enfrentando a segunda onda da pandemia, Carla Vizzotti destacou que "pela terceira semana os casos de coronavírus estão diminuindo de forma sustentada e aprofundada", o que atribuiu a um "esforço de toda a sociedade".

Coronavírus