PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Rússia registra recorde de casos e mortes por covid-19 em 24 horas

26.mar.2020 - Mulher usando máscara devido ao coronavírus na Catedral de Cristo Salvador no centro de Moscou, capital da Rússia - ALEXANDER NEMENOV/AFP
26.mar.2020 - Mulher usando máscara devido ao coronavírus na Catedral de Cristo Salvador no centro de Moscou, capital da Rússia Imagem: ALEXANDER NEMENOV/AFP

Da EFE

21/10/2021 13h15Atualizada em 21/10/2021 14h21

A Rússia alcançou hoje o recorde de novos casos e de mortes em um mesmo dia causadas pela covid-19, enquanto as autoridades avaliam a propagação de uma subvariante da cepa delta, que consideram ainda mais contagiosa.

De acordo com o comitê de luta contra a pandemia criado pelo governo do país, nas últimas 24 horas foram notificados 36.339 positivos e 1.036 vítimas.

A cidade de Moscou foi a subdivisão da Rússia com mais casos, 7.897, e mais mortes, com 73. Logo depois, apareceu São Petersburgo, com 3.280 e 68, respectivamente.

Desde o início da pandemia, o país já contabilizou 8.131.164 positivos para a infecção pelo novo coronavírus e 227.389 falecimentos ocasionados pela covid-19.

Subvariante delta

O serviço russo de proteção ao consumidor (Rospotrebnadzor), informou hoje a aparição de uma subvariante da cepa delta, a AY.4.2, que poderia substituir a mutação original, segundo afirmou Kamil Khafizov, especialista do órgão.

"Provavelmente, é cerca de 10% mais contagiosa, segundo estudos estrangeiros, do que a variante delta original. Não é muito, se compararmos com os 50%, 60% que vimos quando apareceram as variantes alfa e delta", disse o pesquisador à agência de notícias "Interfax".

Khafizov, no entanto, se disse convencido de que as vacinas que estão sendo administradas na Rússia, que foram desenvolvidas no país, também são eficazes contra a subvariante.

O ritmo de vacinação, porém, continua lento no país, em que 47,4 milhões de pessoas, o que representa 32,4% da população, conta com esquema completo de imunização.

Diante da situação, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, decretou de feriado de 30 de outubro e 7 de novembro, tanto no serviço público, como no privado, em medida que visa conter a propagação do novo coronavírus.

Hoje, o prefeito de Moscou, Sergey Sobyanin, foi além e determinou que o período de férias remuneradas e paralisação das atividades não essenciais na cidade deverá ser de 11 dias, indo de 28 de outubro até 7 de novembro.

Seguirão funcionando apenas farmácias, comércios de produtos alimentícios e outros itens de primeira necessidade. Além disso, seguirá funcionando o atendimento médico geral e de urgência.

Restaurantes, cinemas, teatros, centros esportivos, entre outros estabelecimentos deverão fechar as portas.

Sobyanin ainda anunciou que, depois das férias decretadas, serão bloqueados os cartões de transporte social das pessoas com mais de 60 anos e daquelas que possuem doenças crônicas, para que tenham os deslocamentos internos limitados.

Coronavírus