PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Lasso não comparecerá à Assembleia para se defender no caso Pandora Papers

09/12/2021 00h56

Quito, 8 dez (EFE).- O presidente do Equador, Guillermo Lasso, afirmou nesta quarta-feira que não comparecerá à Assembleia Nacional no caso do escândalo Pandora Papers, conforme moção aprovada hoje, e que, em vez disso, enviará relatório elaborado pela Controladoria-Geral de Justiça que o isenta de qualquer suspeita.

Em entrevista direto da Presidência, como parte do programa "Vamos nos encontrar para investimento e emprego", Lasso destacou que a Controladoria deixou claro que não tem "nada a ver com os chamados Pandora Papers (sic)", razão pela qual não tem qualquer intenção de aparecer.

Ontem, após cinco horas de debate e várias votações, a Assembleia Nacional não conseguiu aprovar um pedido de impeachment contra o presidente apresentado pela deputada de esquerda Paola Cabezas, nem outro apresentado por Fernando Cabascango, presidente da Comissão de Garantias Constitucionais, para obrigá-lo a aparecer.

Apenas uma moção foi aprovada pelo deputado Alejandro Jaramillo, da Esquerda Democrática, "exortando-o" a comparecer e dar explicações sobre seus vínculos "diretos ou indiretos" com o escândalo.

Horas antes, a Controladoria-Geral havia arquivado uma investigação solicitada pelo próprio presidente para verificar seus bens no exterior, e confirmar que quando apresentou sua candidatura a chefe de Estado, não possuía capital ou bens em paraísos fiscais, conforme exigido por lei.

Uma vitória para o presidente que viveu à sombra daquele escândalo desde setembro, e que hoje garantiu que "não há necessidade" comparecer à Assembleia, como pediram, porque o relatório da Controladoria diz "clara e especificamente" que ele não violou a lei.

"Vou mandar uma carta com o relatório da Controladora, que é contundente e claro", disse na entrevista. EFE