PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
7 meses

La Palma apresenta concentração letal de gases em zona de exclusão de vulcão

A erupção do vulcão será considerada finalizada de forma oficial no próximo sábado, caso não haja nenhum aumento repentino da atividade - Reprodução/ Twitter/ Involcan
A erupção do vulcão será considerada finalizada de forma oficial no próximo sábado, caso não haja nenhum aumento repentino da atividade Imagem: Reprodução/ Twitter/ Involcan

21/12/2021 19h44

Santa Cruz de Tenerife (Espanha), 21 dez (EFE).- A concentração de gases registrada em algumas áreas da zona de exclusão ao redor do vulcão do parque Cumbre Vieja, na ilha de La Palma, é alta o suficiente para causar a morte de uma pessoa em apenas 30 minutos.

Os serviços de emergência das Ilhas Canárias divulgaram nesta terça-feira um vídeo gravado por membros da Unidade de Emergência Militar (UME) dentro da área evacuada ao redor do vulcão, que entrou em erupção no dia 19 de setembro e está inativo há apenas uma semana.

O texto que acompanha as imagens afirma que, nesta zona de exclusão - o vídeo foi gravado a cerca de 1,5 km dos pontos de emissão do vulcão -, "qualquer ser humano que não estivesse utilizando a proteção máxima teria ficado inconsciente em poucos minutos" e morreria em menos de meia hora devido à inalação de "gases invisíveis", principalmente monóxido de carbono.

O vídeo mostra os gases que saem das casas, praticamente soterradas pelas cinzas, e das fendas abertas no solo. Também é possível perceber o equipamento de medição, que dispara um alarme e acende luzes quando o padrão AEGL-3 é atingido, indicando "o maior risco de efeitos irreversíveis à saúde e até mesmo de morte".

"Como pode ser visto, a emissão de monóxido de carbono ocorre em uma área muito ampla da zona de exclusão, e não apenas na cratera do vulcão, onde se formou uma enorme coluna de fumaça", enfatiza o vídeo.

A erupção do vulcão será considerada finalizada de forma oficial no próximo sábado, caso não haja nenhum aumento repentino da atividade vulcânica antes, mas a "situação de risco para a população" continuará vigente por "muitas semanas", explicou nesta terça-feira o diretor técnico do Plano de Emergência Vulcânica das Ilhas Canárias, Rubén Fernández.

Internacional