Topo

Irã diz que Reino Unido enfrentará consequências por apreensão de seu navio-petroleiro

8.mai.2019 - Presidente do Irã Hassan Rouhani discursa na capital Teerã - Presidência do Irã/AFP
8.mai.2019 - Presidente do Irã Hassan Rouhani discursa na capital Teerã Imagem: Presidência do Irã/AFP

Em Dubai

10/07/2019 08h35

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse hoje que o Reino Unido enfrentará "consequências" por apreender um navio-petroleiro iraniano.

O Irã exigiu a liberação imediata do navio Grace 1, que fuzileiros navais britânicos abordaram no litoral de Gibraltar na semana passada e confiscaram devido à suspeita de que violava sanções transportando petróleo para a Síria.

"Vocês (Reino Unido) são os causadores da insegurança, e perceberão as consequências mais tarde", disse Rouhani, após uma reunião de gabinete, em comentários transmitidos pela televisão estatal.

"Agora vocês estão tão aflitos que, quando um de seus navios-tanque quer circular na região, têm que trazer suas fragatas porque estão assustados. Então por que cometem tais atos? Em vez disso, deveriam permitir que a navegação seja segura", disse Rouhani.

O presidente iraniano ainda disse que a decisão do país de elevar o enriquecimento de urânio resultará na produção de combustível para usinas de energia e servirá a outros fins pacíficos, e que consta do arcabouço do acordo nuclear de 2015 com potências mundiais.

Ele falou um dia depois de potências europeias acusarem o Irã de "desenvolver atividades incompatíveis com seus compromissos" com o pacto nuclear e pediu uma reunião urgente das partes do acordo.

"Vocês (europeus) não precisam se preocupar com o Irã, sua preocupação deveria ser com os Estados Unidos, que violaram todo este compromisso e minaram obrigações internacionais", afirmou Rouhani.

Reino Unido, Alemanha, França, Rússia, China e Irã são as partes remanescentes do acordo, do qual os EUA se desfiliaram no ano passado.

(Reportagem Redação Dubai)

Internacional