PUBLICIDADE
Topo

Democratas dos EUA vão propor reforma abrangente da polícia após morte de George Floyd

6.jun.2020 - Em Washington, D.C., nos Estados Unidos, manifestantes marcharam durante um protesto contra a morte de George Floyd e o racismo - Drew Angerer/AFP
6.jun.2020 - Em Washington, D.C., nos Estados Unidos, manifestantes marcharam durante um protesto contra a morte de George Floyd e o racismo Imagem: Drew Angerer/AFP

De David Morgan e Susan Heavey

Em Washington (Estados Unidos)

08/06/2020 11h27

Parlamentares democratas dos Estados Unidos planejam apresentar hoje um pacote de leis abrangentes para combater a violência policial e a injustiça racial, depois de duas semanas de protestos em toda a nação desencadeados pela morte de George Floyd sob custódia da polícia de Mineápolis.

A proposta deve proibir as chaves de braço e a abordagem por critério racial, exigir que policiais de todo o país usem câmeras, sujeitar a polícia a comissões de análise civis e abolir a doutrina legal conhecida como imunidade qualificada, que protege a polícia de ações civis, de acordo com fontes do Congresso.

"É hora de a cultura policial de muitos departamentos mudar", disse Karen Bass, deputada e presidente do Caucus Parlamentar Negro, à CNN ontem.

Ela acrescentou que espera que a onda de protestos essencialmente pacíficos vista nos EUA ao longo da última quinzena aumente a pressão para que os parlamentares ajam.

"Estamos em um momento verdadeiro em nosso país, o ardor que as pessoas estão mostrando", acrescentou Bass. "Isto assentará o fundamento do ímpeto para provocarmos a mudança que precisamos realizar".

A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, o líder da minoria no Senado, Chuck Schumer, e a senadora Kamala Harris, assim como Bass, devem debater o projeto de lei em uma coletiva de imprensa às 10h30 locais.

Não ficou claro se a proposta receberá apoio dos republicanos, que controlam o Senado norte-americano. Seu apoio e o do presidente republicano, Donald Trump, seria necessário para a medida se tornar lei.

Internacional