PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
15 dias

Renan Calheiros deve relatar CPI da Covid, e Omar Aziz, do Amazonas, presidir investigação

Integrante da maior bancada da Casa e, por tradição e proporcionalidade com direito à escolha pela relatoria, Renan é tido como um crítico do governo - Pedro França/Agência Senado
Integrante da maior bancada da Casa e, por tradição e proporcionalidade com direito à escolha pela relatoria, Renan é tido como um crítico do governo Imagem: Pedro França/Agência Senado

Maria Carolina Marcello

Em Brasília

16/04/2021 13h03

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) deve assumir a relatoria da CPI da Covid, e Omar Aziz (PSD-AM) deve ficar com a presidência do colegiado, enquanto o autor do pedido de criação da comissão, o líder da Oposição, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), assumirá a vice-presidência, desenho que não favorece o governo no embate sobre sua gestão frente a pandemia no país.

A configuração, segundo fontes do Senado, já está moldada, mas ainda haverá uma reunião, à tarde, para que seja batido o martelo sobre os nomes.

Integrante da maior bancada da Casa e, por tradição e proporcionalidade com direito à escolha pela relatoria, Renan é tido como um crítico do governo. O relator sugere oitivas, audiências e também fica com a tarefa de produzir um relatório, a ser ou não aprovado pela Comissão Parlamentar de Inquérito.

Já Omar, encarado por alguns colegas como um parlamentar mais "independente", não tem poupado críticas às atitudes do governo no combate à covid. Até por integrar o Amazonas, estado penalizado por crise que culminou com a falta de oxigênio nos hospitais no início do ano, foi dos que pressionou pela criação da CPI, ao lado do líder do MDB, Eduardo Braga, também titular da comissão.

Ainda assim, a escolha de Omar é encarada como preferível pelo Planalto a um parlamentar da oposição, como Randolfe, na presidência da comissão, avaliou uma fonte do Senado.

Randolfe, por sua vez, garantiu espaço na mesa por ter sido o autor de um dos requerimentos que resultou na CPI. O senador havia proposto a investigação de ações e omissões do governo federal na área da Saúde, com especial atenção ao Amazonas, mas o escopo da investigação foi ampliado a partir de pedido do senador Eduardo Girão (Podemos-CE), para também apurar possíveis irregularidades envolvendo repasses da União a entes federativos.

O parecer a ser produzido pela CPI poderá seguir diversas direções, seja pela apresentação de instrumentos legislativos, ou pela remessa de informações ao Ministério Público para a responsabilização civil e criminal de eventuais infratores.

Mas o poder de fogo de uma comissão do tipo reside mesmo na possibilidade de desgaste do governo. Presidente, relator e vice-presidente da CPI podem controlar os rumos do colegiado.

Política