PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Comissão da OMS faz recomendações para evitar próxima pandemia

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, em coletiva de imprensa - Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images
Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, em coletiva de imprensa Imagem: Pavlo Gonchar/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Stephanie Nebehay

12/05/2021 09h29Atualizada em 12/05/2021 10h11

Um novo sistema global transparente deveria ser criado para apurar surtos de doenças, habilitando a Organização Mundial da Saúde (OMS) a enviar investigadores com pouca antecedência e revelar suas descobertas, disse uma comissão de estudo da pandemia de Covid-19 nesta quarta-feira.

A OMS deveria ter declarado o novo surto de coronavírus na China uma emergência internacional antes de 30 de janeiro de 2020, mas o mês seguinte foi "perdido" porque os países não adotaram medidas fortes para deter a disseminação do patógeno respiratório, disse a comissão.

Em um grande relatório sobre a reação à pandemia, os especialistas independentes pediram reformas ousadas na OMS e uma revitalização dos planos de prontidão nacional para evitar outro "coquetel tóxico".

"É essencial ter uma OMS empoderada", disse Helen Clark, copresidente da comissão e ex-primeira-ministra da Nova Zelândia, aos repórteres no lançamento do relatório "Covid-19: Façam Dela a Última Pandemia".

Ellen Johnson Sirleaf, também copresidente do grupo e ex-presidente da Libéria, disse: "Estamos pedindo um novo sistema de vigilância e alerta que se baseie na transparência e permita à OMS publicar informações imediatamente".

Ministros da Saúde debaterão as conclusões na abertura da assembleia anual da OMS em 24 de maio. Diplomatas dizem que a União Europeia está estimulando os esforços de reforma da agência da Organização das Nações Unidas (ONU), o que exigirá tempo.

Permitiu-se que o vírus SARS-CoV-2, que surgiu na cidade chinesa central de Wuhan no final de 2019, se transformasse em uma "pandemia catastrófica" que já matou mais de 3,4 milhões de pessoas e devastou a economia mundial, disse o relatório.

"A situação na qual nos encontramos hoje poderia ter sido evitada", disse Johnson Sirleaf. "Ela se deve a uma miríade de erros, lacunas e atrasos na prontidão e na reação."

Médicos chineses relataram casos de pneumonia atípicas em dezembro de 2019 e informaram as autoridades, e a OMS recebeu relatos do Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Taiwan e outros, disse a comissão.

Mas o Comitê de Emergência da OMS deveria ter declarado uma emergência de saúde internacional em sua primeira reunião de 22 de janeiro, ao invés de esperar até 30 de janeiro, afirmou o relatório.

O comitê não recomendou restrições de viagens devido aos Regulamentos Internacionais de Saúde da OMS, que precisam ser reformulado, segundo o documento.

Coronavírus