PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Botsuana diz que maioria dos casos da variante ômicron no país foi assintomática

Autoridade afirmou que, dos 19 casos, 16 foram assintomáticos e três tiveram sintomas leves - Reprodução
Autoridade afirmou que, dos 19 casos, 16 foram assintomáticos e três tiveram sintomas leves Imagem: Reprodução

Promit Mukherjee e Siyanbonga Sishi

Joanesburgo

01/12/2021 14h42

Uma autoridade sênior de saúde de Botsuana disse que 16 de um total de 19 casos da variante ômicron do coronavírus detectados no país foram assintomáticos, e afirmou ser "injusto" tratar o país como marco zero da nova variante.

Pamela Smith-Lawrence, diretora de saúde em exercício do Ministério da Saúde e Bem-Estar de Botsuana, disse à Reuters em entrevista na terça-feira que a maioria das 19 pessoas infectadas com a nova variante já testaram negativo para a covid-19 — ou seja, estão recuperadas.

Enquanto 16 pessoas foram assintomáticas, as três restantes apresentaram sintomas "muito, muito leves".

Botsuana disse na sexta-feira que o país estava investigando certas mutações do coronavírus que foram encontradas em quatro estrangeiros que estavam no país em missão diplomática. Desde então, o país notificou outros 15 casos da nova linhagem, elevando o número total para 19.

Embora ainda não esteja estabelecido onde a Ômicron surgiu pela primeira vez, em 25 de novembro a África do Sul, seguida por Botswana um dia depois, anunciou que havia detectado uma nova variante cujas mutações eram diferentes da variante Delta, até então a cepa dominante.

Isso levou vários países europeus e asiáticos a adotarem restrições imediatas a viagens aéreas em países da África Austral, uma decisão que foi criticada tanto pela África do Sul quanto por Botsuana.

"Infelizmente... os dedos agora apontam para Botswana para dizer que isso (a variante) se originou em Botswana, ou é uma variante de Botsuana, o que considero bastante injusto e desnecessário neste momento", disse ela, acrescentando que 14 das 19 pessoas até agora detectadas com a variante eram cidadãos estrangeiros.

Ela se recusou a dizer as nacionalidades dos cidadãos ou de onde eles haviam chegado.

Coronavírus