PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Boris Johnson assume responsabilidade por festas ilegais em gabinete

"Assumo total responsabilidade por tudo o que aconteceu sob meu comando", disse Johnson ao Parlamento britânico, em Londres - REUTERS/Hannah McKay
'Assumo total responsabilidade por tudo o que aconteceu sob meu comando', disse Johnson ao Parlamento britânico, em Londres Imagem: REUTERS/Hannah McKay

Elizabeth Piper e Muvija M

25/05/2022 11h59

Um Boris Johnson "humilhado" disse que assumiu total responsabilidade depois que um relatório oficial contundente detalhou nesta quarta-feira uma série de festas ilegais movidas a álcool no gabinete do primeiro-ministro britânico em Downing Street durante o lockdown da Covid-19.

Johnson enfrentou repetidos pedidos de renúncia de políticos da oposição e alguns de seu próprio partido depois que foi revelado que ele e autoridades violaram as regras que impediam as pessoas de socializar fora de suas casas ou mesmo, em muitos casos, participar de funerais de entes queridos.

"Assumo total responsabilidade por tudo o que aconteceu sob meu comando", disse Johnson ao Parlamento britânico, em Londres.

O relatório da autoridade sênior Sue Gray não culpou especificamente Johnson, mas deu detalhes gráficos e incluiu fotografias de mais de uma dezena de reuniões, algumas das quais ele participou.

Johnson estava entre os multados por uma festa para comemorar seu 56º aniversário em 19 de junho de 2020, embora Gray tenha dito que ele não sabia da reunião com antecedência.

Johnson, que encomendou o relatório após revelações de eventos em Downing Street enquanto a socialização era praticamente proibida sob leis rigorosas que seu governo havia feito para conter a Covid-19, disse estar chocado com alguns dos comportamentos revelados.

"Sinto-me humilhado e aprendi uma lição", afirmou ele ao Parlamento sob vaias das bancadas da oposição.

As conclusões provisórias de Gray foram publicadas em janeiro, mas a maioria dos detalhes foi retida até o final de um inquérito policial separado, que terminou na semana passada com 126 multas aplicadas.

Coronavírus