Tribunal Constitucional do Peru restabelece perdão do ex-presidente Fujimori

LIMA (Reuters) - O Tribunal Constitucional do Peru restabeleceu o perdão do ex-presidente Alberto Fujimori, um benefício que havia sido anulado anteriormente após a rejeição de grupos de direitos humanos, disse seu presidente, Francisco Morales, nesta quarta-feira.

Fujimori, de 85 anos, está cumprindo uma sentença de 25 anos de prisão por abusos de direitos humanos e corrupção.

"Alberto Fujimori deve ser libertado de acordo com a decisão do Tribunal Constitucional", disse Morales em uma entrevista à estação de rádio local RPP, referindo-se a uma decisão recente da mais alta corte.

O ex-presidente foi condenado como autor direto do massacre de 25 pessoas nos casos Barrios Altos, em 1991, e Universidade La Cantuta, em 1992, quando seu governo lutava contra os guerrilheiros de esquerda do Sendero Luminoso.

Fujimori, que governou o Peru entre 1990 e 2000, é uma figura altamente polarizadora. Seu legado político continua vivo no partido de direita Força Popular, de sua filha Keiko, que perdeu uma eleição presidencial apertada em 2021 para o ex-presidente Pedro Castillo, que acabou sofrendo impeachment.

(Reportagem de Marco Aquino)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes