Conteúdo publicado há 2 meses

Lula diz que Vale "nada fez para reparar destruição" em Brumadinho e cobra medidas

Por Marta Nogueira e Gabriel Araujo

(Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira em seu perfil em uma rede social que a mineradora Vale "nada fez para reparar a destruição causada" pelo rompimento de barragem em Brumadinho (MG), que acaba de completar cinco anos.

"Hoje faz cinco anos do crime que deixou Brumadinho debaixo de lama, tirando vidas e destruindo o meio ambiente. Cinco anos e a Vale nada fez para reparar a destruição causada", disse Lula nesta quinta-feira, na rede social X, o antigo Twitter.

"É necessário o amparo às famílias das vítimas, recuperação ambiental e, principalmente, fiscalização e prevenção em projetos de mineração, para não termos novas tragédias como Brumadinho e Mariana."

Procurada, a Vale afirmou que não iria comentar as declarações de Lula.

A declaração de Lula ocorre em momento em que o presidente tem buscado meios para que o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega assuma o comando da mineradora ou seja nomeado conselheiro, conforme a Reuters publicou na semana passada.

Os mercados têm reagido negativamente frente às investidas de Lula, cujo eventual sucesso poderia indicar uma influência do governo sobre a empresa privatizada na década de 1990. As ações da mineradora recuaram cerca de 10% até agora neste ano.

O colapso da estrutura de Brumadinho em 25 de janeiro de 2019 liberou uma onda gigante de lama que deixou 270 mortos, grande parte de funcionários da própria mineradora, ao atingir instalações da companhia na hora do almoço, comunidades, mata e rios da região.

REPARAÇÕES

Continua após a publicidade

Na semana passada, a companhia informou que executou, até o momento, 68% dos 37,7 bilhões de reais previstos em acordo assinado em fevereiro de 2021 com autoridades estaduais e federais por Brumadinho e que definiu obrigações do que fazer e pagar para a reparação socioeconômica e socioambiental do desastre.

Além disso, a empresa disse que desde 2019, mais de 15,4 mil pessoas fecharam acordos de indenização civeis e trabalhistas relacionadas à tragédia.

Segundo a Vale, foram aprovadas 298 iniciativas para Brumadinho e municípios da Bacia do Paraopeba atingidos pelo rompimento, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população.

Foram acertadas ações de fortalecimento de serviços de assistência social e de educação, obras em creches, escolas, hospitais, Unidades Básicas de Saúde (UBS) e moradias populares. O fortalecimento da agropecuária e serviços rurais também foram contemplados.

Na ocasião, a Vale destacou ainda que a reparação vem junto com a garantia de não repetição. Segundo a companhia, desde 2019, foram investidos 7 bilhões no Programa de Descaracterização de Barragens a montante, método de construção utilizado na barragem de Brumadinho, considerado mais perigoso, além de outras iniciativas que visam reforçar a segurança.

Até o momento, 13 barragens com esse método já foram descaracterizadas, chegando a mais de 40% de conclusão do programa. A previsão é que até 2035 todas as barragens desse modelo estejam descaracterizadas, segundo a empresa.

Continua após a publicidade

(Por Marta Nogueira, no Rio de Janeiro, e Gabriel Araujo, em São Paulo)

Deixe seu comentário

Só para assinantes