Conteúdo publicado há 18 dias

Serial killer que dilacerava corpos em fazenda morre após ataque na prisão no Canadá

O serial killer canadense Robert Pickton morreu nesta sexta-feira, aos 74 anos, após ser atacado por um outro preso em um presídio de segurança máxima no começo deste mês, disseram autoridades prisionais.

Um dos mais infames assassinos em série do Canadá, Pickton foi condenado em 2007 por matar viciados em drogas e prostitutas e dilacerar seus restos mortais em sua fazenda de porcos, na província de Columbia Britânica, perto do Oceano Pacífico.

Ele foi condenado por matar seis mulheres. Parte dos restos mortais foi encontrada em sua propriedade perto de Vancouver.

Promotores públicos retiraram acusações para mais 20 homicídios após ele ter sido condenado à prisão perpétua.

O serviço penitenciário do Canadá afirmou que Pickton morreu após ser atacado, no dia 19 de maio, na prisão de Quebec, onde cumpria pena. Após a agressão, ele chegou a ser levado a um hospital para tratamento.

"Temos ciência de que o caso deste infrator tem um impacto devastador nas comunidades de Columbia Britânica e em todo o país", afirmou o serviço em comunicado.

As vítimas estão entre as 60 mulheres que desapareceram no bairro de Downtown Eastside "conhecido por ser infestado de drogas em Vancouver" por mais de uma década, até a prisão de Pickton, em 2002.

Os restos de DNA de 33 mulheres, muitas delas indígenas, foram encontrados na fazenda de porcos de Pickton em Port Coquitlam, cerca de 25 quilômetros a leste do centro de Vancouver.

Deixe seu comentário

Só para assinantes