Topo

CarnaUOL

Rio de Janeiro


Juliana Paes pede volta dos ensaios técnicos na Marquês de Sapucaí

Reprodução/TV Globo
Juliana Paes participa do "Domingão do Faustão" Imagem: Reprodução/TV Globo

Jonathan Pereira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-01-06T19:57:01

06/01/2019 19h57

Juliana Paes mandou um recado para o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, sobre o Carnaval deste ano. A atriz, que sempre entra na avenida, pediu que os ensaios técnicos das escolas voltem a acontecer na Marquês de Sapucaí este ano --por enquanto, eles vêm sendo realizados nas quadras das agremiações ou nas comunidades.

"Vamos falar com nosso prefeito para termos os ensaios técnicos na Sapucaí, gente. É tão divertido. É um entretenimento maravilhoso, as pessoas têm chance de trabalhar, montar suas barraquinhas, é gratuito, ninguém paga para estar ali nas arquibancadas assistindo", argumenta a Rainha de Bateria da Grande Rio.

"Todo mundo se diverte, não tem briga, não tem confusão. As escolas podem ensaiar seus enredos, seus desfiles, todo mundo sai ganhando. Não tem motivo para a gente ter parado de ter os ensaios técnicos no Rio de Janeiro", continua Juliana, sendo aplaudida pelo auditório.

Sophie Charlotte, que também esteve no programa, concorda. "O Brasil tem muitos patrimônios, mas Amazônia e o Carnaval não podem acabar. É uma festa em que a comunidade e o povo conseguem se expressar, suas crenças, satisfações e insatisfações. Que a gente preste atenção para as mensagens do carnaval. É essa força que a gente às vezes não consegue mostrar numa eleição, num momento de polaridade, mas a gente tem".

Na última sexta-feira (4), a notícia de que a Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba) captou, via Lei Rouanet, R$ 600 mil para a realização dos ensaios técnicos, reacendeu a esperança de que os treinos, que ocorrem desde 2004, voltem a acontecer no Sambódromo - no ano passado, por consequência da redução de subvenção oficial pela Prefeitura do Rio, o evento foi cancelado. Porém, o valor é pouco superior a 10% do que a entidade conseguiu de autorização do Ministério da Cultura para captar: R$ 5,5 milhões.

Mais Rio de Janeiro