Topo

CarnaUOL

Rio de Janeiro


9 sentimentos comuns de quem visita a Sapucaí pela primeira vez

Luiza Sahd

Colaboração para o UOL, no Rio

03/03/2019 09h38

Se você só assiste o Carnaval carioca pela televisão -- e acaba infalivelmente caindo no sono lá pela terceira repetição de um samba-enredo desconhecido -- você não está sozinho. O maior espetáculo do Rio de Janeiro fica lindo na telinha mas, ao vivo, pode mexer com o seu coração. Os sentimentos mais comuns das pessoas que assistem o desfile na Sapucaí pela primeira vez são mais ou menos assim:

"Na TV os carros alegóricos parecem mais bem-acabados"

Pois é. Olhar aqueles gigantes de pertinho é, também, entender de que materiais são feitos (e que são feitos, acima de tudo, para as câmeras). Por outro lado, é chocante pensar sobre o trabalho que realmente deve dar erguer um carro alegórico.

"Não acredito que já decorei este samba-enredo"

Quando o desfile começa, bastam poucos minutos para decorar os refrões dos sambas-enredo e pode ser que você se surpreenda com a própria empolgação em alguma altura da passagem das primeiras escolas. Isso é só o começo de muitas emoções.

"Não acredito que já estou VICIADO neste samba-enredo"

Quando uma escola de samba termina sua apresentação, é comum a gente sentir uma saudade instantânea daquela música, daquele assunto, daquelas pessoas tão emocionadas desfilando e de tudo aquilo que você mal conhece mas já considera pacas.

"Como estas pessoas aguentam estas fantasias?"

Seja pelo calor ou pelo peso das fantasias dos membros das escolas de samba, a gente fica boquiaberto admirando a disposição de quem cruzou a Sapucaí com toda aquela parafernalha, esbanjando sorrisos. Olhar nos olhos de quem desfila emociona demais -- especialmente quando as pessoas têm muita idade e mais disposição do que você.

"Ah, não! Um acidente!"

Durante os desfiles na Sapucaí, é comum que algumas escolas tenham carros quebrados, encalhados ou até enroscados no meio do desfile. A angústia de ver os membros da escola preocupados é de cortar o coração, mesmo que você não torça para que essa escola seja a campeã.

"Corram, olha o relógio!"

Outro incidente comum durante os desfiles é notar que o tempo da escola que está se apresentando estourou. A gente lembra do rostinho de cada pessoa envolvida na apresentação e torce demais para que eles não percam muitos pontos.

"Será que virei a casaca?"

Samba é emoção. Se você não for realmente comprometido com alguma escola de samba, pode ser que você chegue à Sapucaí torcendo para uma escola e saia completamente envolvido com outra porque o desfile te emocionou demais.

"Gostei mais dos anônimos do que dos famosos"

Artistas populares são vistos o tempo inteiro na Sapucaí -- e pode ser que você fique muito empolgado ao ver um ídolo. Por outro lado, poucas coisas são mais tocantes durante os desfiles do que a raça de quem realmente é doido pela escola e está ali chorando de alegria.  

"No Carnaval que vem eu desfilo, certeza!"

Depois de todos os desfiles, é comum bater uma vontade louca de desfilar e até uma certa raivinha quando a gente nunca considerou essa possibilidade antes. A notícia boa é que nunca é tarde para começar.


 

Rio de Janeiro