PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Tirar assinatura de requerimento de CPI equivaleria a encomendar uma lápide

                                 A cúpula menor, voltada para baixo, abriga o Plenário do Senado Federal.                              -                                 Marcello Casal JrAgência Brasil
A cúpula menor, voltada para baixo, abriga o Plenário do Senado Federal. Imagem: Marcello Casal JrAgência Brasil
Josias de Souza

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na "Folha de S.Paulo" (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro "A História Real" (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de "Os Papéis Secretos do Exército".

Colunista do UOL

11/04/2021 14h15

O cronista Nelson Rodrigues ensinou que a morte é anterior a si mesma. Começa antes, muito antes. É todo um lento, suave, maravilhoso processo. Neste final de semana, operadores do Planalto convidam senadores subscritores do pedido de CPI da Covid a retirarem suas assinaturas do documento.

A poucas horas da leitura do requerimento em plenário, marcada para terça-feira, apagar a rubrica equivaleria a organizar o funeral do próprio mandato, encomendando a lápide. Há no pedido de abertura da CPI 32 assinaturas. A covid matou um dos signatários, Major Olímpio (PSL-SP). Para que a comissão seja instalada, exige-se o apoio de pelo menos 27 senadores.

A operação-abafa é capitaneada pelo líder de Bolsonaro no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE). Imaginou-se que teria a ajuda de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Mas o primogênito do presidente tem o prestígio de um zero à esquerda no Senado.

De resto, o Planalto não conta com a ajuda do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Tido pelo governo como aliado, engavetou a CPI enquanto pôde. Criticou a ordem que recebeu do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo, para abrir a gaveta. Mas não parece disposto a acionar os naturais poderes de dissuasão de que dispõe.

Considerando-se a dificuldade de convencer os senadores a flertarem com o suicídio político, cresce o risco de o governo piorar a conjuntura, fazendo coisa$ feia$. Vai abaixo, para controle da coletividade, a lista dos subscritores do pedido para que a CPI seja instalada. O endereço eletrônico dos senadores está disponível no site do Senado.

1. Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

2. Jean Paul Prates (PT-RN)

3. Alessandro Vieira (Cidadania-SE)

4. Jorge Kajuru (Cidadania-GO)

5. Fabiano Contarato (Rede-ES)

6. Alvaro Dias (Podemos-PR)

7. Mara Gabrilli (PSDB-SP)

8. Plínio Valério (PSDB-AM)

9. Reguffe (Podemos-DF)

10. Leila Barros (PSB-DF)

11. Humberto Costa (PT-PE)

12. Cid Gomes (PDT-CE)

13. Eliziane Gama (Cidadanbia-MA)

14. Major Olimpio (PSL-SP)

15. Omar Aziz (PSD-AM)

16. Paulo Paim (PT-RS)

17. José Serra (PSDB-SP)

18. Weverton Rocha (PDT-MA)

19. Simone Tebet (MDB-MS)

20. Rose de Freitas (MDB-ES)

21. Tasso Jereissati (PSDB-CE)

22. Jacques Wagner (PT-BA)

23. Rogério Carvalho (PT-SE)

24. Otto Alencar (PSD-BA)

25. Renan Calheiros (MDB-AL)

26. Eduardo Braga (MDB-AM)

27. Rodrigo Cunha (PSDB-AL)

28. Lasier Martins (Podemos-RS)

29. Zenaide Maia (PROS-RN)

30. Paulo Rocha (PT-PA)

31. Styvenson Valentim (Podemos-RN)

32. Acir Gurgacz (PDT-RO)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL