PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Datena é a segunda opção de voto de bolsonaristas, aponta pesquisa

Datena desabafoiu após comentar sobre celular hackeado - Reprodução/Band
Datena desabafoiu após comentar sobre celular hackeado Imagem: Reprodução/Band
Conteúdo exclusivo para assinantes
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

04/09/2021 11h25

Levantamento eleitoral divulgado pelo Poder 360 esta semana mostrou que o apresentador José Luiz Datena (PSL) é a segunda opção de quem tem a intenção de votar em Jair Bolsonaro (sem partido). E Ciro Gomes (PDT) é a segunda opção de quem pensa em votar em Lula (PT).

É a primeira vez que o PoderData, que realiza esta pesquisa, pergunta aos entrevistados quem escolheriam caso o seu candidato favorito não participasse das próximas eleições.

Diante da pergunta "se Bolsonaro não for candidato, em qual destes você votaria?", a resposta mais indicada, com 47%, foi branco ou nulo, seguida por Datena (20%), Ciro (9%), não sabe (8%), Dória (6%), Lula (4%), Mandetta (3%) e Rodrigo Pacheco (3%).

Diante da pergunta "se Lula não for candidato, em qual destes você votaria?", a resposta mais indicada foi Ciro, com 30%, seguida por branco ou nulo (18%), Mandetta (15%), não sabe (13%), Datena (7%), Doria (7%), Bolsonaro (3%) e Rodrigo Pacheco (3%).

Nesta sexta-feira (03), Datena voltou a dizer, no "Brasil Urgente", que é candidato do PSL à Presidência, mas que não pretende falar mais sobre o assunto.


A pesquisa do PoderData foi realizada no período de 30 de agosto a 1º de setembro de 2021. Foram 2.500 entrevistas por telefone em 472 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.