PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Record e Band saem na frente com enviados especiais à Ucrânia

O jornalista Yan Boechat envia relato da Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia, para o Jornal da Band - Reprodução
O jornalista Yan Boechat envia relato da Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia, para o Jornal da Band Imagem: Reprodução
só para assinantes
Mauricio Stycer

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o "Lance!" e a "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Adeus, Controle Remoto" (editora Arquipélago, 2016), "História do Lance! ? Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo? (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011). Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Colunista do UOL

20/02/2022 13h04Atualizada em 21/02/2022 09h35

Numa época de enxugamento de custos, demissões e acomodação, é preciso destacar movimentações no sentido oposto. É o caso da cobertura sobre a crise no Leste Europeu com a ameaça de invasão da Ucrânia. Duas emissoras, Record e Band, estão com jornalistas no local cobrindo a situação.

O jornalista Leandro Stoliar e o repórter cinematográfico Luís Felipe Silveira estão enviando reportagens para o "Jornal da Record" desde segunda-feira (14). Já Yan Boechat tem mandado material para o "Jornal da Band" desde terça (15).

Stoliar  - Reprodução  - Reprodução
O repórter Leandro Stoliar, da Record, está desde segunda-feira (14) na Ucrânia
Imagem: Reprodução

Neste sábado (19), Stoliar estava em Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, no nordeste do país. Em caso de guerra, seria uma cidade sob ameaça de invasão. Sua reportagem mostrou como os moradores podem se proteger, em bunkers, em uma situação-limite.

Já Boechat reportou de uma região de conflitos no leste do país. Ele presenciou bombardeios de tropas separatistas, que enfrentem os ucranianos há anos. A certa altura, o jornalista precisou se proteger, ao lado de soldados, em um bunker. Boechat viaja sozinho e grava as próprias imagens de suas matérias.

As reportagens de Stoliar e Boechat acrescentam o que os jornalistas chamam de "temperatura". São quentes. Neste mesmo sábado, por exemplo, o "Jornal Nacional" noticiou a crise da Ucrânia com relatos de uma correspondente em Genebra (Suíça) e outro em Nova York (EUA) - a emissora enviou jornalistas a Kiev no final de janeiro, em outro estágio da tensão com a Rússia.

Neste domingo (20), o jornalista Sérgio Utsch, do SBT, que acompanhou a viagem do presidente Jair Bolsonaro a Moscou e Budapeste, informou em suas redes sociais que chegou a Kiev, na Ucrânia. É mais um repórter brasileiro no centro dos acontecimentos. Também a CNN Brasil informou que o vídeorrepórter Mathias Brotero está em Kiev para cobrir os desdobramentos da crise com a Rússia.