PUBLICIDADE
Topo

Reinaldo Azevedo

Defensoria Pública diz que antecedente criminal não pode justificar mortes

12/05/2021 12h35

O defensor público geral do estado do Rio, Rodrigo Pacheco, disse nesta quarta-feira (12) que ter antecedente criminal não pode justificativa para grande número de mortes no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio. O operação na comunidade deixou 28 mortos, entre eles o policial civil André Farias, de 48 anos, e foi considerada a mais letal da história no estado.

"(...) Nesse momento esse debate se tinha antecedente ou não tinha antecedente é irrelevante".
"A Constituição da República proíbe pena de morte e determina que a pessoa que pratica crime seja processada, tenha direito à defesa e seja julgada por um juiz isento e imparcial. Essa é a defesa da instituição da Defensoria Pública", disse Pacheco em entrevista à GloboNews. (...) Leia íntegra no G1.