PUBLICIDADE
Topo

Salles vê pandemia como 'oportunidade' para o governo aprovar medidas

Reunião ministerial 22 de abril - Marcos Corrêa/PR
Reunião ministerial 22 de abril Imagem: Marcos Corrêa/PR
Rubens Valente

Rubens Valente é repórter desde 1989 e há 10 anos atua em Brasília. Nasceu no Paraná e trabalhou em órgãos da imprensa de São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, onde se formou em jornalismo na UFMS (Universidade Federal do MS). É autor de "Operação banqueiro" (Geração Editorial, 2014) e "Os fuzis e as flechas - história de sangue e resistência indígena na ditadura militar" (Companhia das Letras, 2017). Recebeu 17 prêmios nacionais e internacionais, incluindo o Prêmio Esso de Reportagem, dois Prêmios de Excelência Jornalística da SIP (Sociedade Interamericana de Jornalismo) e dois Grandes Prêmios Folha.

Colunista do UOL

22/05/2020 18h12Atualizada em 23/05/2020 17h42

Na reunião ministerial do dia 22 de abril, o ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente) disse ao presidente Jair Bolsonaro que o governo devia aproveitar que a imprensa está focada na crise do novo coronavírus para "passar as reformas infralegais de desregulamentação, simplificações". Ele citou a crise provocada pela pandemia como uma "oportunidade".

Salles disse que o governo deveria se dedicar a "todas as reformas que o mundo inteiro nessas viagens que se referiu o [ministro] Ônyx certamente cobrou dele, cobrou do Paulo [Guedes]..."

De acordo com a transcrição feita pelos peritos da Polícia Federal do INC (Instituto Nacional de Criminalística), Ricardo Salles disse o seguinte: "Presidente, eu tava assistindo atentamente a apresentação do colega, ministro Braga Neto, e... na parte final ali na, no slide da, das questões transversais tá o Meio Ambiente, mas eu acho que o que eu vou dizer aqui sobre o meio ambiente se aplica a diversas outras matérias. Nós temos a possibilidade nesse momento que a atenção da imprensa tá voltada exclusiva ... quase que exclusivamente pro Covid, e daqui a pouco para a Amazônia, o general Mourão tem feito aí os trabalhos preparatórios para que a gente possa entrar nesse assunto da Amazônia um pouco mais calçado, mas não é isso que eu quero falar. A oportunidade que nós temos, que a imprensa não tá ... tá nos dando um pouco de alívio nos outros temas, é passar as reformas infralegais de desregulamentação, simplificação, todas as reformas que o mundo inteiro nessas viagens que se referiu o Onyx certamente cobrou dele, cobrou do Paulo..."

Nos últimos dias, o governo investiu na aprovação, em plena pandemia, da chamada MP da Grilagem, que pretende regularizar terras públicas em especial na Amazônia Legal, em tramitação no Congresso Nacional. Só não foi votada nesta semana porque houve uma reação enorme da sociedade civil. Diversos especialistas no assunto se questionavam o motivo de tanto empenho do governo no meio da pandemia do novo coronavírus.

Em nota à coluna neste sábado (23), a assessoria do Ministério do Meio Ambiente disse que o ministro disse: "Sempre defendi desburocratizar e simplificar normas, em todas as áreas, com bom senso e tudo dentro da lei. O emaranhado de regras irracionais atrapalha investimentos, a geração de empregos e, portanto, o desenvolvimento sustentável no Brasil".

Rubens Valente