PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Thaís Oyama


Polícia Federal deveria processar Bolsonaro por destruição de reputação

Governador do RJ, Wilson Witzel, que, segundo sugeriu o presidente Bolsonaro,  pode ser preso em breve - Adriano Machado
Governador do RJ, Wilson Witzel, que, segundo sugeriu o presidente Bolsonaro, pode ser preso em breve Imagem: Adriano Machado
Thaís Oyama

Thaís Oyama é comentarista política da rádio Jovem Pan. Foi repórter, editora e redatora-chefe da revista VEJA, com passagens pela sucursal de Brasília da TV Globo, pelos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S Paulo, entre outros veículos. É autora de "Tormenta - O governo Bolsonaro: crises, intrigas e segredos" (Companhia das Letras, 2020) e de "A arte de entrevistar bem" (Contexto, 2008).

Colunista do UOL

03/06/2020 18h59

Bolsonaro sugeriu que o governador do Rio, Wilson Witzel, investigado pela Polícia Federal, pode ser preso em breve.

A essa altura, alguma entidade representativa da PF deveria pensar em processar criminalmente o presidente.

Ao sugerir, dia sim, dia não, que tem acesso a informações sigilosas da PF, Bolsonaro não apenas ofende a instituição - ameaça aniquilar a sua reputação.

O presidente pode ter dito o que disse apenas para provocar o adversário do Rio -mas se foi um blefe não interessa.

O fato de insinuar que está recebendo informações indevidas, e de forma ilegal, põe sob suspeição a credibilidade da PF e, com ela, a das operações que ela conduz, das prisões que faz e, em última análise, dos processos que derivam dos inquéritos em que atua.

Comentários como o que o presidente fez hoje não são inocentes nem inócuos.

O achincalhe das instituições, a começar pelo da Presidência da República, cobrará seu preço. E os brasileiros é que pagarão a conta.

Thaís Oyama