PUBLICIDADE
Topo

Passageiro médio do Brasil é homem, de classe média e viaja pelo menos três vezes por ano, diz pesquisa

Fabrício Calado

Do UOL, em São Paulo

09/04/2012 06h00

Eles são homens, têm em média 37 anos, pertencem à classe média alta e voam diretamente de São Paulo em direção a aeroportos domésticos, basicamente para fazer negócios. Este é o perfil médio do passageiro brasileiro, segundo levantamento feito pela consultoria americana McKinsey&Company, a pedido do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social). A pesquisa, feita em 32 aeroportos do país, envolveu 38,4 mil entrevistados, que responderam questionários durante a época de férias escolares, quando o número de viagens é maior. Divulgado em janeiro de 2010, o levantamento é de 2009, e tem margem de erro de até 5%.

De acordo com o estudo, os usuários de aeroportos no Brasil são na maioria homens (62,7%), com idades entre 25 e 50 anos (44,8%) e viajam a negócio (50%). Eles também são assalariados (42%) e possuem renda domiciliar entre R$ 2.000 e R$ 14 mil. O índice de viagens de trabalho é ainda maior quando se considera apenas as viagens domésticas (60%) ou as viagens feitas pelo aeroporto de Congonhas (70%), na zona sul de São Paulo. Entre os passageiros frequentes, que viajam 21 vezes ou mais, o número pula pra 75,9%.

Veja a distribuição etária dos viajantes brasileiros

Até 18 anos1%
18 a 24 anos9%
25 a 31 anos23%
32 a 40 anos24%
41 a 50 anos22%
51 a 59 anos13%
60 anos ou mais8%

A imensa maioria das origens e dos destinos das conexões nos 15 principais aeroportos é para aeroportos domésticos (80%) e os principais hubs (pontos de conexão) do país ainda são os aeroportos de Guarulhos (SP), Congonhas (SP), Brasília (DF) e Galeão (RJ). E é de lá, portanto, que saem a maior parte dos viajantes. A principal rota sai de São Paulo com destino ao Rio de Janeiro (15,3%). No segundo lugar, figura o caminho inverso da ponte aérea Rio-São Paulo, com 10% do total de passageiros do país. Na outra ponta do ranking, em 10º lugar, aparece a rota Manaus-São Paulo, feita por apenas 1,6% do público dos aeroportos.

Cerca de 10% a 15% das viagens têm origem ou destino internacional, sendo que Guarulhos é o principal hub de voos para o exterior. Em 2008, foram 300 mil passageiros que voaram principalmente de e para Estados Unidos, Argentina, França, Chile, Alemanha, Espanha e Itália.

A pesquisa também revela uma certa regularidade nos hábitos de quem usa os aeroportos brasileiros. Por exemplo, os chamados passageiros frequentes, que viajam três ou mais vezes no ano, representam cerca de um terço dos passageiros e respondem por 80% das viagens.

Apesar de ter 50 milhões de viagens por ano, o Brasil teve em 2008 11 milhões de passageiros únicos (que viajaram uma única vez no ano), cerca de 5% da população. Desse total, 8% das pessoas viajam pela primeira vez.

No solo, táxi lidera

O raio-x dos passageiros também traz informações sobre o meio de transporte mais usado para o deslocamento até os aeroportos. Na falta de transporte público alternativo, os escolhidos foram, por ordem de preferência, o táxi (42% dos usuários em todo o Brasil), a carona (20%) e o carro próprio (17%).

E o percentual nada tem a ver com qualquer preço "camarada" praticado pelos táxis, já que 28% dos passageiros entrevistados disseram imediatamente que recorrem ao táxi porque é a "única opção".

O transporte público representa uma parcela pouco significativa nos meios de acesso aos aeroportos (3%), sendo que veículos de empresas, eventos ou alugados (5%) são mais relevantes do que ônibus urbanos.

Cotidiano