PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Operação Saturação já prendeu 68 pessoas na Grande São Paulo

Do UOL, em São Paulo

09/11/2012 14h25Atualizada em 10/11/2012 04h11

Novo balanço divulgado pela Polícia Militar nesta sexta-feira (9) informa que, pelo menos, 68 pessoas foram presas na operação Saturação em São Paulo e Guarulhos. A polícia também apreendeu 17 armas, 368 kg de maconha, 38 kg de cocaína, 484 gramas de crack, 50 unidades de drogas sintéticas, além de munições, veículos e uma granada.

A Operação Saturação acontece desde o dia 29 de outubro na favela de Paraisópolis (zona sul de São Paulo) e foi estendida na última quarta-feira (7) para as zonas norte e leste da capital e também para a cidade de Guarulhos. A operação não tem data para terminar.

Na zona norte da capital paulista, a PM prendeu nove pessoas e apreendeu um revólver calibre 22, 13 munições do mesmo calibre, 29 kg de maconha e 277 gramas de cocaína.

Na zona leste de São Paulo, os policiais prenderam seis pessoas e apreendeu dois veículos.

Na favela de Paraisópolis, onde a Operação Saturação teve início, a PM já prendeu 57 pessoas, recapturou 12 procurados pela Justiça, apreendeu 16 armas de fogo, uma granada, 351 munições, 37,8 kg de cocaína, 339,9 kg de maconha, 484 gramas de crack e 50 unidades de drogas sintéticas.

Em Guarulhos, na Grande São Paulo, a polícia recapturou dois procurados pela Justiça e apreendeu dez veículos.

Violência na última madrugada

Entre a noite de quinta-feira (8) e a manhã desta sexta, 13 pessoas morreram e outras oito ficaram feridas na região metropolitana de São Paulo. Os crimes ocorreram nas zonas sul e leste da capital e nas cidades de Santo André e Santana de Parnaíba.

Pacote de medidas

Para conter a onda de violência na capital e na Grande São Paulo, os governos estadual e federal anunciaram na terça-feira (6) uma primeira medida: a criação de uma "agência de ação integrada" para combate ao crime

O anúncio foi feito pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e pelo governador Geraldo Alckmin após reunião no Palácio dos Bandeirantes (sede do governo paulista).

Além da criação da agência, cuja primeira reunião será na segunda que vem (12), outras cinco medidas foram anunciadas: o fortalecimento dos trabalhos de perícia, a fiscalização conjunta em vias marítima, aérea e terrestre, a criação de um centro de comando e controle integrado por videomonitoramento e com auxílio da Prefeitura de SP, ações de enfrentamento ao crack e transferência de presos de São Paulo a penitenciárias federais nos próximos dias.     

Cotidiano