Topo

Jovens não têm medo de arriscar a única vida que possuem, diz papa em 1º discurso

Hanrrikson de Andrade e Paula Bianchi

Do UOL, no Rio

2013-07-22T18:34:36

22/07/2013 18h34

O papa Francisco afirmou na noite desta segunda-feira (22), no primeiro discurso desde que chegou ao Brasil, que Jesus Cristo abre espaço para os jovens porque eles "não têm medo de arriscar a única vida que possuem". A declaração foi feita ao lado da presidente da República, Dilma Rousseff, no Palácio Guanabara, sede do governo do Rio de Janeiro, em Laranjeiras (zona sul).

“Cristo bota fé nos jovens”, diz Francisco em 1º discurso

"Cristo abre espaço para eles [jovens], pois sabe que energia alguma pode ser mais potente que aquela que desprende do coração dos jovens quando conquistados pela experiência da sua amizade. Cristo 'bota fé' nos jovens e confia-lhes o futuro de sua própria causa: 'ide, fazei discípulos". Ide para além das fronteiras do que é humanamente possível e criem um mundo de irmãos. Também os jovens 'botam fé' em Cristo. Eles não têm medo de arriscar a única vida que possuem porque sabem que não serão desiludidos", declarou o pontífice.

No início do discurso, o pontífice argentino referiu-se aos brasileiros. “Aprendi que para ter acesso ao povo brasileiro é preciso bater no portal de seu coração”, afirmou Francisco, que disse ter vindo ao Rio “nos braços abertos do Cristo Redentor.”

O papa disse também que “a juventude é a janela pela qual o futuro entre pelo mundo” e se colocou na posição de “amigo” dos brasileiros. “Peço a todos a delicadeza da atenção para estabelecer um diálogo de amigos, e os braços do papa se alongam para abraçar a nação brasileira.”

No final do discurso, o sumo pontífice citou expressões tipicamente brasileiras, como “menina dos olhos” e referiu-se a locais do país, como o Pantanal.

Campo do Fluminense

O helicóptero da FAB (Força Aérea Brasileira) que transportava Francisco pousou por volta de 17h50 no campo do estádio das Laranjeiras, do Fluminense, que fica ao lado do Palácio Guanabara, nas Laranjeiras, zona sul do Rio de Janeiro. Enquanto caminhava pelas dependências do clube, o papa foi saudado pelos sócios com gritos de "Nense" e "e ô e ô o Francisco é tricolor". 

O papa Francisco embarcou no helicóptero por volta de 17h40  do Terceiro Comando Regional, no Castelo, no centro. Além de Dilma, a cerimônia no Palácio Guanabara tem a presença do governador do Estado, Sérgio Cabral, e do prefeito da capital, Eduardo Paes, entre outras autoridades.Ao final da cerimônia de boas vindas, Francisco terá uma reunião privada com a presidente. 

LEIA MAIS: Após Fla e Flu, Vasco quer entregar camisa personalizada ao papa no Rio

Depois do encontro, o papa seguirá para a Residência Assunção, no alto da estrada do Sumaré, no Alto da Boa Vista (zona norte), que já hospedou o papa João Paulo 2º duas vezes. Encravada na floresta da Tijuca, a residência hospedará o papa ao longo de toda a semana.

Papa pega trânsito e beija crianças

Durante percurso entre o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), na Ilha do Governador, zona norte do Rio de Janeiro, e a Catedral Metropolitana de São Sebastião, no centro, o papa cumprimentou fiéis, beijou crianças e chegou até a ficar preso no trânsito. 

Do Galeão, onde desembarcou às 17h43, Francisco seguiu em carro fechado até a Catedral. O veículo que transportou o pontífice é um Fiat Idea, de cor prata. No banco traseiro, Francisco manteve a janela do carro totalmente aberta na maior parte do tempo. 

Na avenida Presidente Vargas, já no centro do Rio, o carro com o papa estacionou para que o pontífice cumprimentasse fiéis que o cercavam. Muitos conseguiram tocar no pontífice, enquanto seguranças se desdobravam para evitar o contato, que não estava previsto. 

Ainda na Presidente Vargas, próximo ao cruzamento com a avenida Rio Branco, a comitiva papal acessou a pista que não estava interditada ao tráfego, ficando presa num engarrafamento de coletivos. Neste momento, centenas de fiéis se aproximaram do veículo com o papa. Uma mulher entregou uma criança para o pontífice pela janela do carro. Francisco a beijou e a devolveu à mulher.

Ao longo do percurso, cinco carros e duas motos escoltaram o carro que levava o papa, que circulou pela linha Vermelha e passou ao lado do complexo de favelas da Maré, na zona norte.

Papamóvel 

Por volta das 17h, o papa chegou à Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, onde trocou o veículo fechado em que estava pelo papamóvel. Pelo menos 10 mil pessoas aguardavam a chegada do papa, segundo estimativa da Guarda Municipal. Os fiéis começaram a chegar às 9h.

Enquanto Francisco trocava de veículo, fiéis o cercaram e gritavam "papa, eu te amo" e "a juventude é do papa", entre outras coisas.

De papamóvel, Francisco circulou por várias vias do centro, em meio à multidão de fiéis. Na avenida Graça Aranha, o pontífice beijou outra criança. A comitiva do papa Francisco é acompanhada por carros da Polícia Federal, da Guarda Municipal do Rio e da Polícia Militar

Jornada Mundial da Juventude 2013
Jornada Mundial da Juventude 2013
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','71412', '')

Desembarque

O avião do papa Francisco pousou no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, às 15h43 desta segunda-feira (22) depois de quase 12 horas de viagem desde Roma, na Itália. O avião, da companhia Alitalia, estava com as bandeiras do Brasil e do Vaticano nas janelas da cabine. Francisco foi recepcionado pela presidente Dilma Rousseff, pelo governador do Estado, Sérgio Cabral, e pelo prefeito da capital, Eduardo Paes, entre outras autoridades.

Está na JMJ? Mande sua foto

Você vai participar da Jornada Mundial da Juventude? Registrou cenas curiosas de peregrinos? Fez imagens dos eventos e do papa Francisco? Envie para o UOL. Mande seu material por e-mail para vocemanda@uol.com.br. Pelo Twitter, envie fotos ou relatos citando o perfil de @UOLNoticias e utilizando a hashtag #vocemanda

O Sumo Pontífice desceu da aeronave às 16h, acenou para o público e foi recepcionado pela presidente. Ambos conversaram por alguns segundos. Em seguida, ele ganhou dois buquês de flores de uma jovem e, ao lado de Dilma e do arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta, cumprimentou um a um os integrantes da comitiva que o aguardavam.

Um coral com crianças e jovens de três paróquias do Rio saudou o líder maior da Igreja Católica com o hino da atual edição da Jornada Mundial da Juventude. Depois, cantaram uma música, em português, espanhol e inglês, com o refrão "Abençoa, abençoa, abençoa este povo que te ama, abençoa, abençoa, papa Francisco o teu povo abençoa". O papa agradeceu o coral, que em seguida cantou a marchinha "Cidade Maravilhosa".

Papa embarca em Roma para o Brasil

"Dentro de algumas horas chego ao Brasil, e já sinto o coração cheio de alegria por em breve estar celebrando com vocês a 28ª JMJ", se lê no tweet do papa argentino, que escreveu durante o voo rumo ao Rio de Janeiro.

Aos jornalistas que o acompanham na viagem, o papa disse que a crise mundial está "causando muitos prejuízos aos jovens". O pontífice também demonstrou preocupação com o que chamou de "geração que nunca teve trabalho".

A viagem também teve momentos de descontração. "Vocês não se conformam com nada". Foi o que o papa Francisco respondeu ao ser questionado por jornalistas brasileiros durante o voo entre Roma e Rio de Janeiro sobre o fato de alguns "lamentarem" a nacionalidade argentina do pontífice. "Vocês querem tudo", brincou ele, que acrescentou: "Vocês já têm um Deus brasileiro, queriam um papa brasileiro também?".

Pontificado de Francisco
Pontificado de Francisco
$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','71407', '')

Mais Cotidiano