PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Bombeiros mudam estratégia e voltam a usar escavadeiras em busca por operário

Do UOL, em São Paulo

05/12/2013 07h55

O Corpo de Bombeiros voltou a utilizar, na quarta-feira (4), maquinário pesado no local onde uma construção desabou em Guarulhos (SP). Desde terça-feira (3), as buscas ao operário Edenilson de Jesus dos Santos, 24, que possivelmente está sob os escombros, eram feitas manualmente. As buscas completaram 60 horas por volta das 7h30 de hoje.

A medida foi tomada 48 horas após o início dos trabalhos. De acordo com afirmação feita pelo capitão do Corpo de Bombeiros Marcos Palumbo na quarta-feira, a medida faz parte de uma "convenção internacional".

Segundo a assessoria da corporação, “onde não há a possibilidade [de Edenlison estar] usa-se máquina pesada, e nos pontos indicados pelos cachorros, continuamos removendo o material manualmente”.

Depoimentos

O ajudante-geral Erivaldo Jesus do Santos, que trabalhava na obra que desabou, afirmou em depoimento à polícia que os operários tinham medo de trabalhar e comentavam entre si sobre as trincas e rachaduras do local.

"Todos tinham que rezar para que o prédio não desabasse e matasse todo mundo", afirmou ele, que é funcionário de uma empresa terceirizada --Mãos em Obras-- e trabalhava na obra localizada na Vila Leonor há cerca de cinco meses.

Além da Polícia Civil, Ministério Público do Trabalho também investiga se havia irregularidades na obra.

O engenheiro responsável pela obra é investigado pelo Crea-SP (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo) em três processos. Segundo a entidade, ainda há contra ele uma denúncia em apuração. Hoje, o conselho informou que instaurou um processo administrativo contra o engenheiro e a construtora do prédio.

Local do acidente

Fiscalização

A Prefeitura de Guarulhos informou nesta quarta-feira que a obra foi fiscalizada no último mês de setembro e que, na ocasião, o fiscal relatou que a construção estava "em fase de concretagem para a terceira laje" e que a execução da obra acontecia "em conformidade com as determinações contidas no projeto licenciado".

A empresa responsável pela obra, Salema Comércio, Construção e Projetos Ltda, tinha alvará de construção emitido em 23 de novembro de 2012 para a construção de prédio residencial de 30 apartamentos e dois salões comerciais.

Ainda segundo a prefeitura, em 14 de maio deste ano a empresa solicitou que o projeto fosse substituído, acrescentando um mezanino em um dos salões comerciais, e o alvará foi expedido em 6 de novembro deste ano.

 

Cotidiano