Topo

Policiais são investigados por agressões no Ceará

Reprodução
Jovens tem o rosto pintado com spray supostamente por um policial militar do Ceará Imagem: Reprodução

Aliny Gama

Do UOL, em Maceió

2013-12-10T19:00:02

10/12/2013 19h00

Policiais militares do Ceará são investigados por supostas agressões em abordagens a dois jovens e uma criança em imagens divulgadas nesta semana na internet.

Uma foto mostra dois jovens com os rostos pichados de preto e um PM do grupo "Ronda do Quarteirão", de Fortaleza, com uma lata de spray em uma das mãos. 

Os jovens estão sentados em um banco com as mãos na cabeça aparentando estarem rendidos pelo policial, que usa o spray para pintar o rostos de um dos rapazes, enquanto o outro já está pintando.

Na foto, aparece apenas uma parte do corpo do policial, que está armado com uma pistola ponto 40.

Já um vídeo feito dentro de um ônibus onde estão várias pessoas detidas pela polícia, um PM aparece humilhando duas pessoas: uma criança e um rapaz.

Nas filmagens o policial aborda a criança, que está algemada e presa no encosto de uma das cadeiras do coletivo, e ordena que o menino cante um a música. Ao final, o menino leva um tapa na cabeça.

Jovem e criança são humilhados por PM

“Esse é o pica-pau. Cadê o pica-pau?”, disse o PM e em seguida a criança imita o personagem. Ao final, o menino leva um tapa na cabeça e o PM volta a falar. “Ah, agora melhorou. Tome pica-pau”, falou o policial que deu um tapa no menino.

No mesmo vídeo, o policial obriga um rapaz a cantar uma música da dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano e caso não saiba a letra que ele ordenou “vai apanhar”.

“Cante aquela música. Bora cante, se tu errar tu apanha!”, ameaça o PM e em seguida o rapaz começa a cantarolar uma música. Mas, os supostos excessos continuam e o PM diz se não souber cantar toda vai apanhar. O rapaz canta e mesmo fazendo o que o policial leva vários tapas.

O UOL tentou falar com o presidente da comissão dos diretos humanos da OAB/CE (Ordem dos Advogados do Brasil), Edmir Martins, na tarde desta terça-feira (10), para saber se a entidade também vai apurar os fatos, mas o telefone dele estava fora de área ou desligado.

A PM informou que já está de posse do vídeo e da foto para apurar as denúncias e afirmou que não identificou ainda nenhum dos envolvidos.

Segundo o tenente-coronel Fernando Rocha Albano, a Coin (Coordenadoria de Inteligência) analisa as imagens para identificar o policial que aparece dando um tapa no menino e também o autor do vídeo.

Albano informou ainda que a PM investiga a origem da foto para tentar identificar os jovens que aparecem na imagem como também o PM que está segurando o spray.

“Solicitamos que as vítimas se apresentem à Corregedoria para relatar os fatos e assim apurarmos o ocorrido”, disse o Tenente Coronel, destacando que serão abertos processos administrativos para apurar os casos, os envolvidos terão ampla defesa e assim, a PM irá decidir se serão punidos ou não. 

Mais Cotidiano