PUBLICIDADE
Topo

PM determina prisão administrativa de 4 PMs que estavam em protesto no RJ

Manifestantes erguem cartazes durante protesto contra a prisão de ativistas envolvidos com manifestações na véspera da final da Copa do Mundo. O protesto acontece em frente ao TJ-RJ nesta terça-feira (15) - Domingos Peixoto/Agência O Globo
Manifestantes erguem cartazes durante protesto contra a prisão de ativistas envolvidos com manifestações na véspera da final da Copa do Mundo. O protesto acontece em frente ao TJ-RJ nesta terça-feira (15) Imagem: Domingos Peixoto/Agência O Globo

Carolina Mazzi

Do UOL, no Rio

15/07/2014 19h08

O Comando da Polícia Militar determinou a prisão administrativa de quatro policiais que participaram de operação durante um protesto contra a Copa do Mundo na praça Saens Pena, zona norte do Rio de Janeiro, no último domingo (13).

Em nota, a corporação afirma que os oficiais “já receberam determinação para se apresentarem ao Batalhão de Policiamento de Grandes Eventos onde permanecerão presos por ordem do comandante da unidade”.

Os policiais acusados são: soldados Carlos Henrique Ferreira e Cristiano Ximenes, que estão sendo acusados de agressão e furto, respectivamente, ao cinegrafista canadense Jason Ohara. O também soldado Jair Portilho Júnior, acusado de agressão a um repórter fotográfico, e o soldado Rogério Costa de Oliveira, acusado de agressão a manifestante.

A Corregedoria da Polícia informa ainda que também abriu sindicância para apurar a denúncia de um policial que teria assediado uma manifestante. A abordagem foi filmada pela vítima, que divulgou o vídeo na internet.

Agressões

No último final de semana, policiais militares foram acusados por manifestantes de abuso de poder e violência durante um protesto contra a Copa do Mundo que ocorria na praça. Em certo momento, segundo testemunhas, os policiais impediram que qualquer pedestre saísse da praça, inclusive moradores, cercando o local.

“Ficamos ilhadas aqui na Tijuca, tinham guardas em todos os locais, não conseguíamos passar nem para nossa casa”, afirma Mariana Torres, moradora do bairro.

Um vídeo feito por um cinegrafista amador mostra o policial Rogério Costa de Oliveira chutando uma jovem duas vezes. Outros vídeos mostram agressões a outros manifestantes e jornalistas. Segundo a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), o número de profissionais agredidos no protesto chegou a 14.

A polícia acrescenta que, cidadãos que tenham queixas sobre a conduta de policiais, podem fazer denúncias pela Ouvidoria (21 3399-1199) ou procurar a própria Corregedoria.

Cotidiano