Jovens denunciam agressão de PMs após dispersão de protesto em SP

Bernardo Barbosa

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Facebook Escola de Luta Fernão Dias Paes

    Em post no Facebook, jovem mostra marca de suposta agressão cometida por PMs no Largo da Batata, em São Paulo

    Em post no Facebook, jovem mostra marca de suposta agressão cometida por PMs no Largo da Batata, em São Paulo

Sete jovens -- entre eles três menores de idade -- relatam ter sido agredidos, ofendidos e perseguidos por policiais militares no largo da Batata, zona oeste de São Paulo, na noite de quinta-feira (14), depois de acabadas as passeatas contra o aumento das passagens de ônibus. A denúncia foi feita via Facebook e registrada em boletim de ocorrência no 14º DP (Distrito Policial), em Pinheiros.

Segundo os jovens, a agressão aconteceu após retornarem da manifestação contra o aumento da tarifa do transporte público convocada pelo MPL (Movimento Passe Livre), que terminou em frente à estação Butantã do Metrô. De acordo com o boletim de ocorrência, PMs da Força Tática, "sem qualquer justificativa, passaram a agredi-los com cassetetes, socos e chutes, além de ofensas verbais." O 14º DP expediu pedido de exame de corpo de delito para as vítimas, três rapazes e quatro garotas com idades entre 17 e 19 anos. 

agressão foi denunciada também via Facebook. As fotos publicadas na rede social mostram marcas vermelhas que parecem ter sido provocadas por golpes de cassetete. No texto que acompanha as imagens, uma estudante que não se identificou afirma que o grupo tentou fugir dos PMs correndo para dentro de um bar nas imediações do Largo da Batata. Segundo ela, os jovens foram perseguidos pelos policiais mesmo dentro do estabelecimento.

"Eu e uma companheira entramos no banheiro para tentar fugir das cacetadas, os policiais entraram no bar e começaram a bater na porta do banheiro, afirmando que se não abríssemos eles iriam arrombar e nos espancar. Abrimos a porta e vimos uma grande fila de policiais, mais uma vez, TODOS HOMENS, eles nos mandaram sair do bar e fugir para longe, enquanto passávamos por eles, em um corredor estreito, eles começaram a nos espancar com o cassetete e nos agredir verbalmente, nos mandando ir lavar louça e parar de vadiar. Saímos correndo e eles continuaram xingando e falando que iriam atrás de nós", diz o relato publicado no Facebook.

Segundo um rapaz que estava com os autores da denúncia, entre 25 e 30 policiais, todos homens, abordaram o grupo de aproximadamente 15 jovens. O UOL também conversou com uma testemunha da agressão. Segundo ela, pelo menos 15 PMs perseguiram os jovens que tentaram se refugiar no bar.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública paulista informou que "diligências estão sendo realizadas para identificar câmeras de segurança que possam ajudar na identificação dos agressores." Ainda de acordo com o órgão, a Corregedoria da Polícia Militar "vai convidar os adolescentes para comparecerem na instituição e assim dar início a uma apuração."

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos