Piauí proíbe queimadas e decreta emergência por excesso de focos de incêndios

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

  • Prefeitura de Teresina

    Avião usado pelo Corpo de Bombeiros para apagar focos de incêndio em Teresina

    Avião usado pelo Corpo de Bombeiros para apagar focos de incêndio em Teresina

O governo do Piauí proibiu queimadas em florestas e outras vegetações de todo o Estado, a partir desta quarta-feira (19), para coibir as queimadas prática comum da população e decretou estado de emergência devido ao grande número de áreas atingidas por incêndios desde o inicio do mês. As queimadas estão proibidas até o dia 30 de novembro.

O decreto de situação de emergência no Estado foi assinado pelo governador Wellington Dias (PT), nesta terça-feira (18), e, em virtude do feriado do Dia do Piauí, o texto será publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira (20).

O Estado está em terceiro lugar no Brasil na lista de registros de focos de fogo. Somente este mês ocorreram 1.938 queimadas, segundo dados do programa de queimadas do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Em primeiro lugar vem o Maranhão, com registro de 4.390 focos de incêndios, e o Pará, com 2.939.

A proibição de queimadas em matas e vegetações no Estado do Piauí vale até o dia 30 de novembro, período onde são registradas as temperaturas mais altas e baixa umidade do ar. 

No texto, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos informa que poderá estender o período de proibição de queima controlada caso as condições climáticas e meteorológicas apresentarem-se desfavoráveis para o emprego do fogo.

A proibição abrange a queima controlada em práticas agropastoris e florestais, como meio de limpeza de pastagem, preparo do solo para o plantio, erradicação de pragas, incineração de lixo e entre outras práticas com finalidade semelhante. Mas, há exceções como a queima de canaviais para facilitar o corte da cana-de-açúcar em área agroindustrial, porém é necessária a prévia autorização da secretaria para que sejam estabelecidas regras para a ação. Quem descumprir as regras receberá penalidades previstas em lei, além de responder outras medidas administrativas e penais.

Teresina

O grande número de incêndios também levou a Prefeitura de Teresina a decretar situação de emergência por 90 dias. Com o decreto, o prefeito Firmino Filho (PSDB) afirmou que pretende reforçar o auxílio às famílias que tiveram prejuízos com as queimadas e às localidades que sofreram com problemas nos sistemas de abastecimento de água e energia. O decreto poderá ser prorrogado por igual período, caso haja necessidade.

A prefeitura informou que a assistentes sociais estão atendendo as famílias afetadas pelas queimadas. Casas destruídas pelo fogo serão reconstruídas.

Na semana passada, Teresina ficou com uma grande nuvem de fumaça e várias áreas residenciais foram ameaçadas pelo fogo que se alastrou da mata para a área urbana. O Corpo de Bombeiros afirmou que 90% dos focos de incêndio foram causados por pessoas que atearam fogo na mata ou em lixo e acabaram perdendo o controle do fogo.

O governo do Piauí informou que montou uma força-tarefa para combater queimadas na região metropolitana de Teresina. A ação envolve mais de cem pessoas, entre policiais militares, civis, e rodoviários federais, integrantes das secretarias de Defesa Civil e  Meio Ambiente, além de voluntários, que se juntaram ao Corpo de Bombeiros para controlar os incêndios.

Segundo o Corpo de Bombeiros, este mês, somente em Teresina já foram atendidas 122 ocorrências, sendo 99 fogo no mato na zona rural e 23 fogo em terreno baldio na zona urbana. Desde o sábado (15), três aeronaves (dois helicópteros da Polícia Militar e um avião alugado) atuam no rastreamento e combate aos focos de incêndios da zona rural de Teresina.

"Os helicópteros são usados para localizar os focos e o avião sobrevoa a área jogando água. Um dos helicópteros tem um equipamento chamado pulsar, que tem capacidade de armazenar 50 litros de água. Esse helicóptero também está sendo usado para apagar fogo e resfriar áreas de queimada. Até agora o helicóptero já fez 108 lançamentos. A aeronave tem capacidade para despejar 3.000 litros de água e já tem 10 horas de voo", explicou o comandante de operações aéreas da PM-PI, coronel Claynton Gomes.

O avião está sendo abastecido por caminhões pipas do Exército e do Corpo de Bombeiros e os helicópteros estão pegando água no lago de um condomínio localizado na BR-343, em Teresina.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos