Topo

Atlas da Violência: assassinatos no país superam mortes por terrorismo e Guerra do Vietnã

17.maio-2017 - Muro crivado de balas em favela do Alemão, no Rio -  AFP PHOTO / Fabio TEIXEIRA
17.maio-2017 - Muro crivado de balas em favela do Alemão, no Rio Imagem: AFP PHOTO / Fabio TEIXEIRA

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

05/06/2017 12h51

Em apenas três semanas de 2015, o total de assassinatos no Brasil supera o número de mortes em decorrência de todos os ataques terroristas no mundo nos primeiros cinco meses deste ano. A comparação foi feita no estudo Atlas da Violência 2017, divulgado nesta segunda-feira (5) pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Aplicada) --a publicação analisa dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, que traz informações até ano de 2015.

O número de homicídios no Brasil subiu 22,7% no período de 2005 a 2015. Foram 59.080 casos registrados há dois anos contra 48.136 em 2005. Homens, negros, jovens e com baixa escolaridade são as principais vítimas. O estudo definiu o número como "exorbitante".

O pesquisador do Ipea, Daniel Cerqueira, comparou os homicídios no Brasil às mortes ocorridas em razão do terrorismo.
 
“Apenas em três semanas são assassinadas no Brasil mais pessoas do que o total de mortos em todos os ataques terroristas no mundo nos cinco primeiros meses de 2017 e que envolvem 498 casos, resultando em 3.314 vítimas fatais.”
 
A diretora do Fórum de Segurança, Samira Bueno, destacou que os números refletem um cenário de guerra no Brasil e comparou as mortes à guerra do Vietnã.
 
“Em 20 anos, entre 1955 e 1975, morreram 1,1 milhão de pessoas no Vietnã. No Brasil, em 20 anos, entre 1995 e 2015 morreram 1,3 milhão. As 59.080 vítimas de homicídio em 2015 representam 161 mortos por dia.”

Mais Cotidiano