Polícia recupera R$ 5,4 mi de bandidos conhecidos como "novos cangaceiros"

Eduardo Carneiro

Colaboração para o UOL

  • Polícia Militar/Governo de Tocantins

Uma megaoperação no Tocantins que conta com policiais militares e civis de Gurupi, Palmas e cidades vizinhas segue na busca pelos suspeitos de uma prática criminosa conhecida como "novo cangaço", na qual criminosos invadem as cidades para praticar roubos e espalham pânico com atos de violência e exposição de um forte poderio de armas.

A última ação do grupo foi na cidade do Gurupi, sul de Tocantins, neste domingo (11): cerca de 20 criminosos invadiram a cidade, explodiram uma agência bancária, fizeram reféns e fugiram atirando em posse de uma grande quantia de dinheiro. Uma mulher se feriu. A Polícia Militar do Estado já recuperou parte do montante roubado.

Segundo a PM, a ação ocorreu por volta das 22h40, depois do registro de disparo de armas de fogo em diferentes regiões da cidade. Com alguns reféns, dentre os quais cinco homens, os ladrões explodiram o caixa eletrônico de uma agência do Banco do Brasil no Centro e na hora da fuga incendiaram quatro veículos de moradores, sendo três carros e uma moto, que estavam estacionados nas proximidades.

Enquanto deixavam a cidade rumo à estrada, os criminosos ainda efetuaram mais disparos de arma de fogo. Um deles atingiu uma mulher de 36 anos no ombro. Ela foi conduzida ao Hospital Regional pelos bombeiros e seu quadro de saúde não foi informado. Os reféns foram soltos logo em seguida, numa estrada vicinal.

Com o alegado intuito de não colocar a comunidade em maior risco, a PM aguardou que o grupo tivesse saído de Gurupi para montar bloqueios e cercos e iniciar as buscas.

Até a tarde desta segunda-feira, já foram localizados três veículos que deram apoio à ação e foram abandonados pelos bandidos, grande quantidade de explosivos (que provavelmente seriam usados em ações semelhantes em bancos), uma arma de fogo e uma expressiva quantia de dinheiro (R$ 5,4 milhões). As autoridades aguardam informações do banco para saber se a quantia equivale ao total que os criminosos roubaram.

De acordo com a PM, os veículos foram abandonados próximos à cidade de Cariri pelos criminosos, que utilizaram o extintor de incêndio de um dos carros na arma para dificultar a coleta de possíveis impressões digitais.

Até a tarde desta segunda-feira nenhum deles foi encontrado. A Delegacia de Investigações Criminais (DEIC) de Gurupi comanda as investigações.

Polícia Militar/Governo de Tocantins

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos