Violência no Rio

Forças de segurança fazem megaoperação no Rio contra o roubo de cargas

Do UOL, em São Paulo

  • Gabriel de Paiva/ Agência O Globo

    Soldados participam de operação no Complexo do Lins, no Rio de Janeiro

    Soldados participam de operação no Complexo do Lins, no Rio de Janeiro

A Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro (Seseg) informou no início da manhã deste sábado (05) que as polícias Civil e Militar deflagraram uma megaoperação para o combate ao roubo de cargas no Estado. A Operação Onerat - que significa carga em latim - marca o início da segunda fase da operação integrada com o governo federal e pretende cumprir 55 mandados, sendo 40 de prisão e 15 de busca e apreensão.

Pelo menos uma morte foi registrada durante o começo da megaoperação, a de Jefferson Abilio da Silva Cavalcante, de 19 anos, que foi baleado no tórax e no braço durante troca de tiros com a polícia no Morro São João, na zona norte. Segundo a polícia, ele foi preso no ano passado por roubo de cargas e solto em março deste ano.

A Seseg informa que os agentes atuam nos Complexos do Lins e Camarista Méier, na zona norte. Há ainda operações nos Morros de São João, no Engenho Novo, também na zona norte, e Covanca, em Jacarepaguá, na zona oeste. As Forças Armadas são responsáveis pelo cerco em algumas dessas regiões. Segundo a GloboNews, há 3.600 homens do Exército e da Marinha participando da ação. 

Ruas foram interditadas e os espaços aéreos são controlados, mas não há interferência nas operações dos aeroportos. O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que a Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá está totalmente interditada, em ambos os sentidos, devido à operação. Motoristas devem utilizar a Linha Amarela ou o Alto da Boa Vista, que apresentam boas condições de tráfego. 

Na sexta (04), um caminhão dos Correios foi atacado por homens armados na zona norte. Criminosos armados com um fuzis interceptaram o veículo, que estava próximo ao centro de distribuições da empresa, em Benfica, e o levaram até o morro do João, onde a mercadoria foi distribuída para moradores da comunidade.

Forças Armadas não inibem ação de bandidos no Rio

Crime cresceu 25%

O roubo de carga no Rio de Janeiro cresceu cerca de 25% no primeiro semestre em comparação com o mesmo período do ano passado e é uma das principais preocupações do governo. Ao todo, foram registradas 4.148 ocorrências entre janeiro e junho de 2016 contra 5.179 em 2017, de acordo com dados do Instituto de Segurança Pública.

No dia 28 de julho, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e os ministros da Defesa, Raul Jungmann (PPS), e da Justiça, Torquato Jardim, anunciaram um plano específico para combater o roubo de cargas.

Plano Nacional de Segurança

Desde a semana passada, ao menos 10 mil militares reforçam o policiamento no Estado, como parte do Plano Nacional de Segurança no Rio de Janeiro. Ocorrências de roubos de carga foram registradas após militares deixarem as ruas do Rio ao final da primeira etapa do plano, chamada de reconhecimento de área.

Na manhã de sexta (4), o ministro da Defesa afirmou que não há como as Forças Armadas permanecerem nas ruas todo o tempo.

Segundo a Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), em cinco anos, o prejuízo decorrente do roubo de carga no Brasil passa de R$ 6 bilhões. No Rio de Janeiro, a estimativa é que o preço de alguns produtos fique 20% mais caro por causa do delito e as transportadoras chegaram a ameaçar uma paralisação, caso o problema não seja resolvido.

Forças Armadas dividem Rio entre tranquilidade e a desconfiança

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos