"Hospital parecia uma praça de guerra", diz prefeito de Janaúba

Janaina Garcia

Do UOL, em São Paulo

As dependências do hospital regional de Janaúba, no Norte de Minas Gerais, se assemelhavam na manhã desta quinta-feira (5) a uma "praça de guerra" logo depois que as primeiras vítimas de um incêndio começaram a chegar ao local. A descrição foi dada ao UOL pelo prefeito da cidade, Carlos Isaildon Mendes (PSDB), que se dirigiu ao local antes mesmo de ir à creche onde o ataque promovido por um homem de 50 anos foi registrado.

Segundo o Corpo de Bombeiros, ao menos quatro crianças morreram queimadas -- Juan Pablo Cruz dos Santos, Luiz Davi Carlos Rodrigues, Juan Miguel Soares Silva e Ana Clara Ferreira Silva, todas, com quatro anos de idade.

Juntamente com a Fundação Hospitalar de Janaúba, o hospital regional recebeu boa parte dos pelo menos 15 feridos graves no ataque, entre os quais, o próprio suspeito, o segurança Damião Soares dos Santos, 50. A Polícia Civil confirmou a morte do segurança.

Outras 25 pessoas tiveram ferimentos de menor gravidade, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

"O clima na cidade é de muita consternação; mais cedo, dentro do hospital, parecia uma praça de guerra com aquela gente toda ferida", disse o prefeito.

Segundo o prefeito, apesar de o suspeito estar internado na mesma unidade onde estão vítimas e familiares à espera de notícias, "não há riscos à segurança".

"Porque boa parte do efetivo das polícias e dos bombeiros está no hospital também. Hoje é um dia muito tumultuado, mas o governo está dando todo o apoio à cidade", disse.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos