Após ataques, ICMBio e Ibama dizem que operação contra garimpo ilegal continua no AM

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Garimpeiros queimam escritórios do Ibama, ICMBio e Incra em Humaitá, no sul do Amazonas

    Garimpeiros queimam escritórios do Ibama, ICMBio e Incra em Humaitá, no sul do Amazonas

Após sofrer ataques de garimpeiros em Humaitá (AM) em represália a uma grande operação de combate ao garimpo ilegal de ouro no Rio Madeira, o ICMBio (Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade) e o Ibama divulgaram nota conjunta neste sábado (28), e reafirmam que a operação vai continuar. A Operação Ouro Fino conta com o apoio do Exército, da Marinha e da Força Nacional de Segurança.

"As unidades do Ibama e do ICMBio no município de Humaitá (AM) foram atacadas e destruídas por criminosos em represália a operação de fiscalização realizada para combater o garimpo ilegal de ouro no Rio Madeira", diz o comunicado.

"Essa atividade ilegal é altamente impactante e causa graves danos ao meio ambiente e à saúde humana, além do risco à navegação. Normalmente associado a diversos outros crimes como contrabando e sonegação fiscal, o garimpo ilegal financia a grilagem de terras e contribuiu para o aumento da violência no campo. Este cenário exige atuação firme das instituições públicas. As estruturas dos órgãos ambientais foram atacadas, e servidores ameaçados. O Ministério do Meio Ambiente acionou imediatamente os Ministérios da Defesa e da Justiça, as Polícias Federal e Rodoviária Federal e a Força Nacional para resguardar a integridade física dos servidores que atuam na região", afirmam os órgãos de defesa do meio ambiente do governo federal.

As entidades dizem que nenhum funcionário ficou ferido e que todo o pessoal foi retirado temporariamente da região. A nota informa que as investigações sobre os ataques foram assumidas pela Polícia Federal e que os prejuízos ainda não foram calculados. Mais cedo, o governo federal informou que está enviando mais tropas do Exército e da Força Nacional de Segurança para reforçar a segurança no local.

Um barco do ICMBio (Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade) atracado próximo a Humaitá, no sul do Amazonas, foi incendiado na manhã deste sábado, no segundo ataque em dois dias contra órgãos ambientais do governo federal.

Na sexta-feira (27), no final da tarde, as sedes e carros do instituto e do Ibama foram incendiadas em retaliação à operação Ouro Fino, que combatia ao longo da semana o garimpo ilegal de ouro no Rio Madeira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos