Violência em São Paulo

Aluno quebra portas e vidros com taco de beisebol e causa correria em faculdade de SP

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

Um estudante da Universidade São Judas Tadeu, na Mooca, zona leste de São Paulo, foi detido por policiais militares na noite desta quinta-feira (16) após uma tentativa de depredar salas da faculdade.

Segundo a PM, a corporação foi acionada porque Gustavo Cardelli, aluno do curso de design, aparentava estar descontrolado, entrou no local com um taco de beisebol e bateu em portas e vidros. A depredação ocorreu no sétimo andar, e ninguém se feriu.

A ação do jovem causou correria dentro da universidade. Pelo barulho, alunos chegaram a cogitar que houvesse ocorrido um tiroteio no local, o que não foi confirmado.

Segundo a Polícia Civil, o estudante ficará preso, em flagrante, por dano qualificado, contravenção (por causar pânico) e ameaça. "Estava insatisfeito com a metodologia de ensino e apresentou o protesto dele", informou o delegado que atendeu o caso, no 8º DP (Distrito Policial), no Brás. 

Audiência de custódia, nesta sexta-feira (17), na Barra Funda, vai definir se ele permanecerá preso. "Está calmo, tranquilo, entende que errou, mas não tem a dimensão do tamanho do pânico que causou", disse o delegado.

Nenhum familiar ou advogado do jovem compareceu à delegacia até 0h45 desta sexta.

Divulgação
Taco de beisebol usado por aluno da universidade em protesto na noite desta 5ª
Expulso do grupo de TCC

Segundo um dos PMs envolvidos na ocorrência e que está no DP, as testemunhas afirmaram que o estudante costumava ser agressivo. Esta quinta (16) seria o dia da entrega do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), e o rapaz não tinha nenhum conteúdo para entregar.

O aluno participava de um dos grupos de TCC da sala, mas foi expulso da equipe após ser acusado de assédio por uma colega. Segundo ela, ele não conseguiu entrar em nenhum outro grupo depois disso.

"O que eu acho que aconteceu é que ele surtou porque hoje era a entrega do TCC e ele não tinha nada para entregar", afirmou Andreia Bonomi, 22, ao UOL. "No meio do ano, eu expulsei ele do grupo, porque fiz um B.O. contra ele por assédio. Desde então, aparentemente, ele não conseguiu outro grupo e hoje deve ter explodido", disse.

O grupo faria como trabalho de conclusão um aplicativo de transporte. "Cheguei a falar com a mãe dele, mas ele parece que não mudou", declarou a estudante.

Um vídeo que já está sob posse da polícia, gravado por um colega de classe no momento do surto, mostra Gustavo Cardelli discutindo em uma sala de aula, com o taco dentro de uma mochila carregada nos ombros.

"Eu fiquei até o 5º semestre e tu não quis me mudar. Eu falei várias vezes lá para a diretoria tentar me mudar. Eles esperaram passar o semestre inteiro pra eu poder ir lá. (...) Isso é um absurdo. Isso é muito absurdo. Sabe o que eu vou fazer?", questionou antes de pegar o taco e seus colegas correrem.

"Conduta inadequada"

Em nota, a universidade informa que, imediatamente após o ocorrido, a segurança local e a polícia foram acionados, e o estudante identificado e detido por sua "conduta inadequada".

"Felizmente foi caso isolado, sem nenhuma agressão física e já controlado", diz o comunicado. Ainda segundo a instituição, as provas marcadas para esta quinta-feira serão aplicadas em uma nova data, de forma que nenhum aluno seja prejudicado, e as aulas desta sexta-feira (17) ocorrerão normalmente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos