Topo

Homem morre após fraturar coluna enquanto pulava em cama elástica no MT

Marcio Queiroz morreu após tentar cambalhota em festa de aniversário da mulher - Reprodução/Facebook
Marcio Queiroz morreu após tentar cambalhota em festa de aniversário da mulher Imagem: Reprodução/Facebook

Rafael Pezzo

Colaboração para o UOL

08/05/2018 14h12

Um homem morreu, no último sábado (5), em Cuiabá, após ficar hospitalizado por um mês devido a uma fratura na coluna cervical sofrida enquanto brincava em uma cama elástica. Marcio Queiroz, 42, se machucou no dia 5 de abril durante a festa de aniversário da mulher, Elaine Sobral dos Santos. O acidente aconteceu na cidade de Tangará da Serra, a 245 km ao noroeste da capital do Mato Grosso.

Desde então, Queiroz ficou hospitalizado e passou por duas cirurgias, mas não resistiu e morreu no Hospital São Benedito, na capital do estado.

Leia também: 

Ao UOL, Elaine contou que Marcio “tentou dar uma cambalhota no ar enquanto pulava na cama elástica, mas quando fez a posição fetal, bateu a cabeça no joelho”. “Ele já caiu sem os movimentos dos braços e das pernas e com sangramento no nariz”, completou.

Após o acidente, a família chamou uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o homem foi levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. Diagnosticado com lesões na coluna, o paciente foi transferido às pressas para o Hospital São Benedito, em Cuiabá, onde foi submetido a uma cirurgia na região.

“Os médicos explicaram que ele quebrou a vértebra C6, deslocou a C2, C3, C4 e a C5, além de ter deixado a medula pressionada”, explicou Elaine.

Na capital, ele ficou internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) por 28 dias. Neste período, Queirozo também foi submetido a uma traqueostomia, para melhorar a respiração, prejudicada por uma lesão em um músculo. Ainda assim, ele morreu no último final de semana.

Queiroz foi enterrado na manhã do último domingo (6), no cemitério Jardim da Paz, no bairro Jardim Paulista, em Tangará da Serra.

Segundo Elaine, o marido estava desempregado desde janeiro e seu último trabalho havia sido como motorista de caminhão. Os dois se conheceram há 14 anos e estavam casados há 13. Juntos, tiveram um casal de filhos, sendo uma menina, de 11 anos, e um garoto, de nove.

“Eu não perdi só meu marido, mas perdi meu amigo, irmão e, acima de tudo, meu companheiro de tudo”, contou Elaine, emocionada. “Ele sempre foi um pai maravilhoso, e não digo isso só porque ele morreu, não. Ele era muito bom. Fazia de tudo para agradar a nós três, a família dele.”

A reportagem tentou entrar em contato com o Hospital São Benedito para saber mais detalhes sobre o quadro de Marcio Queiroz, mas não obteve resposta.

Mais Cotidiano