PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

PM de folga é morto com 20 tiros; polícia investiga ataque que mirava o filho

Fabiana Marchezi

Colaboração para o UOL

20/06/2018 12h52

Um soldado da Polícia Militar de 45 anos foi morto com ao menos de 20 tiros na noite desta terça-feira (19), no Conjunto Riviera, em Goiânia, Goiás. De acordo com a polícia, Dennyo  Edno Gonçalves dos Santos, que estava de folga, foi morto por engano por volta das 21h, na porta de sua casa, na avenida Liberdade, ao descer de seu carro. Investigações preliminares dão conta de que o alvo dos suspeitos seria o filho do PM.

A Polícia Militar informou ao UOL que os suspeitos dispararam com uma pistola 9 milímetros e com um revólver calibre 38, de dentro de um carro prata. Santos trabalhava no Comando de Apoio Logístico (CAL).

Leia mais:

Segundo nota divulgada pela Secretaria de Segurança Pública do Estado, levantamentos e oitivas iniciais realizados pela Polícia Civil apontam que "o verdadeiro alvo dos criminosos seria o filho de Santos, de 22 anos". O jovem estaria envolvido em suposta rixa entre traficantes de drogas da região. Ele já foi ouvido na Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH).

Santos é um dos militares presos pela Polícia Federal em 2012 por suspeita de participação em um grupo de extermínio investigado na operação Sexto Mandamento, que resultou na prisão de 19 PMs em fevereiro daquele ano.

O último julgamento da operação aconteceu em março de 2014, quando Santos e outros dois policiais militares acusados de homicídio foram absolvidos pelo júri popular. Os três respondiam pela morte de Marcelo Coka, em setembro de 2004.

No comunicado, a SSP informou ainda que a Polícia Civil não dá mais informações "para que não ocorra qualquer prejuízo no andamento das investigações". O delegado Hellyton Carvalho é o responsável pelo caso, "mas só se pronunciará após a finalização do inquérito", segundo a nota. Ainda não há informações sobre prisões.

Cotidiano