Topo

Tentativa de assalto a banco deixa 14 mortos no Ceará

Reprodução/BandnewsFM
Imagem: Reprodução/BandnewsFM

Aliny Gama e Janaina Garcia

Colaboração para o UOL, em Maceió, e do UOL, em São Paulo

2018-12-07T10:21:06

2018-12-07T22:37:58

07/12/2018 10h21Atualizada em 07/12/2018 22h37

Uma tentativa de assalto a agências bancárias na cidade de Milagres (a 482 km de Fortaleza) deixou 14 mortos na madrugada desta sexta-feira (7) --oito criminosos e seis reféns da quadrilha (cinco deles pertenciam à mesma família)A ação, ocorrida pouco depois das 2h, teve troca de tiros entre bandidos e policiais, mas as circunstâncias ainda não foram esclarecidas.

O total de mortos foi atualizado na noite de hoje pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará. Inicialmente, a Secretaria disse serem 12 as vítimas. Pela manhã, a Coordenadoria de Medicina Legal da Perícia Forense em Juazeiro do Norte (CE), órgão que realiza a identificação dos corpos, já computava 13 mortos.

Os seis reféns mortos são: Vinícius de Souza Magalhães (14) e João Batista Campos Magalhães (49), que eram filho e pai; Gustavo Tenório dos Santos (13), Claudineide Campos de Souza Santos (41), Cícero Tenório dos Santos (60), que eram filho, mãe e pai; e Francisca Edneide da Cruz Santos (49). Os dois corpos de suspeitos identificados são de Mackson Junior Serafim da Silva (26) e Lucas Torquato Loiola Reis (18).

Três pessoas foram presas suspeitas de integrar o grupo, que, segundo a polícia, atacaria as agências do Banco do Brasil e do banco Bradesco na cidade. Também foram apreendidos três pistolas, um revólver calibre 38, uma espingarda calibre 12 e explosivos. Seis veículos envolvidos na ocorrência também foram retomados pela polícia.

De acordo a Secretaria, homens fortemente armados chegaram à cidade e seguiram para o centro, onde tentaram assaltar as duas agências bancárias. Ainda de acordo com as autoridades, eles teriam reagido ao serem surpreendidos pela polícia.

Os suspeitos usaram um caminhão para bloquear um trecho da BR-116, próximo à ponte do riacho Tamanduá, e pararam dois carros --um com uma família que seguia viagem de Juazeiro do Norte (CE) para Serra Talhada, no sertão de Pernambuco, e outro com um morador de Brejo Santo (CE).

Com seis reféns, a quadrilha foi até Milagres, onde tentou assaltar a agência do Banco do Brasil. Os suspeitos, no entanto, foram surpreendidos pela polícia.

O caminhão usado para bloquear a estrada foi deixado no acostamento do km 495, e a BR-116 foi parcialmente interditada. A PRF (Polícia Rodoviária Federal) informou que não há congestionamento no local.

Secretário pede para evitar pré-julgamento da ação policial

O governo ainda não esclareceu as circunstâncias em que os reféns foram mortos. O secretário de Segurança, André Costa, pediu que a ação da polícia seja avaliada sem “pré-julgamento” e ponderou que somente a perícia indicará o que aconteceu.

“A gente confia muito no trabalho dos nossos policiais”, disse Costa. "A conclusão do trabalho [de perícia] é que poderá dizer o que aconteceu e qual foi a dinâmica, para a gente poder avaliar se houve ou não alguma atuação que poderia ter sido melhor, por parte da polícia. E, se sim, para a gente aprender com isso. Mas, a princípio, é preciso ter responsabilidade e não fazer pré-julgamento", disse.

"Temos pessoas foragidas, estamos em buscas na região. Essa era uma quadrilha de ação interestadual --especialmente na região Nordeste", completou o secretário.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará informou que cinco suspeitos morreram durante troca de tiros com a polícia. Os peritos deslocaram dois carros, com capacidade para seis pessoas cada, para recolher os corpos dos criminosos. Já os corpos dos reféns foram trasladados para a coordenadoria pela manhã.

Outros dois suspeitos foram baleados e encaminhados para hospitais da região, mas não resistiram. O oitavo suspeito morreu em outro confronto com a Polícia no município de Barro.

A pasta informou que, antes do tiroteio, "equipes do policiamento especializado da PM do Ceará já estavam na região realizando diligências justamente sobre criminosos que atuavam nos ataques a instituições financeiras na área”.

Em entrevista à rádio "Bandnews FM" nesta sexta, o prefeito de Milagres, Lielson Landim (PDT), disse que os reféns foram mortos pelos criminosos e que os assaltantes morreram em troca de tiros com policiais. “As informações que tenho são de que os reféns foram executados pelos bandidos”, afirmou.

Família feita refém é morta

Segundo a Coordenadoria de Medicina Legal da Perícia Forense em Juazeiro do Norte, que realiza a identificação dos corpos, o veículo em que estavam os reféns era conduzido pelo empresário João Batista Magalhães, 46, que tinha ido buscar familiares vindos de São Paulo no aeroporto de Juazeiro do Norte.

Além de Magalhães, morreram o filho dele, Vinicius, 14; a cunhada; o marido dela e o filho do casal, 10. Os três familiares de Magalhães e a sexta vítima ainda não tiveram os nomes divulgados.

Prefeitura pede que moradores não saiam de casa

A Prefeitura de Milagres divulgou nota comunicando que, "tendo em vista os acontecimentos desta madrugada", e por "medida de segurança", decidiu suspender os serviços nas repartições públicas da cidade, nesta sexta.

"A medida é tomada em concordância com as orientações do comando da Polícia Militar, que nesse momento conta com o apoio de helicópteros e um grande efetivo de policiais que estão em diligência no centro e imediações da cidade, na captura de bandidos que empreenderam fuga nesta manhã."

A nota do município recomenda que "todos permaneçam em suas casas até que a ordem seja restabelecida."

Mais Cotidiano