PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Homem que perdeu casa em Mariana se angustia por sobrinhos em Brumadinho

Carlos Eduardo Cherem*

Colaboração para o UOL, em Brumadinho (MG)

26/01/2019 04h01

O presidente da Associação Comunitária de Bento Rodrigues, subdistrito de Mariana (MG), José do Nascimento de Jesus, conhecido como Zezinho do Bento, 73, reviveu momentos de apreensão ao descobrir que a barragem de Brumadinho (a 60 km de Belo Horizonte), onde trabalham seis sobrinhos, havia se rompido na manhã desta sexta-feira (25).

Zezinho já havia perdido a casa três anos atrás no rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, quando o vilarejo em que morava foi destruído pelo lamaçal. O episódio deixou 19 mortos, desabrigados, contaminação na bacia do rio Doce e o maior desastre ambiental do Brasil.

Ao UOL, seu Zezinho explicou que a notícia que recebeu é que todos os sobrinhos passam bem. "Eles trabalham na área onde o minério é transportado pela linha férrea. Consegui falar com um deles e a notícia que tenho é eles estariam bem. Mas só vou ficar tranquilo quando conversar com os outros", afirma.

Uma das pontes que conectam a linha férrea foi levada com a força da lama.

O líder comunitário, que até hoje espera a reconstrução do Distrito de Bento Rodrigues --e, consequentemente, a reconstrução de sua casa--, criticou a repetição da tragédia. A mina do Feijão pertence a Vale que, por sua vez, é proprietária da Samarco, responsável pela barragem do Fundão.

"Para a empresa [Vale], fica tudo a mesma coisa. Quem sofre os danos é a gente", protesta.

*Colaborou Gilvan Marques

Cotidiano