Topo

Suspeito de matar morador de rua em SP tem registro de colecionador de arma

Alex Tajra/UOL
Armas apreendidas na casa de Marcelo Pereira, empresário suspeito de assassinar o morador de rua Sebastião Lopes dos Santos Imagem: Alex Tajra/UOL

Alex Tajra

Do UOL, em Santo André

2019-05-21T17:34:45

2019-05-21T21:25:20

21/05/2019 17h34Atualizada em 21/05/2019 21h25

A Polícia Civil paulista disse hoje que o suspeito de matar a tiros o morador de rua Sebastião Lopes dos Santos, 40, tem registro de Colecionador, Atirador e Caçador (CAC) -- categoria beneficiada pelo decreto do presidente Bolsonaro (PSL) que, entre outras coisas, amplia a quantidade autorizada de compra de munições.

Segundo os delegados Francisco Cardoso e Roberta Franco, as investigações apontam que o autor dos cinco disparos que mataram Sebastião no último dia 11 é o empresário catarinense Marcelo Pereira de Aguiar, 36. Ele teve ordem de prisão decretada e está foragido.

Em diligências no apartamento de luxo do suspeito, a polícia afirma ter apreendido duas armas de alto calibre: uma carabina 22 modelo AR-15 e uma espingarda calibre 12, além de munições. Marcelo teria usado ainda uma terceira arma, uma pistola possivelmente de calibre .380, para matar Sebastião Lopes.

Segundo os delegados, o Exército Brasileiro, responsável pelos registros de CACs, não informou ainda se as armas encontradas no apartamento de Sebastião estão em situação regular.

Empresas em SP e SC

Com um mandado de prisão expedido e foragido, Marcelo foi descrito pelas autoridades como "uma pessoa bem relacionada".

Divulgação
O empresário e colecionador de armas Marcelo Pereira de Aguiar, 36, suspeito de assassinar um morador em situação de rua em Santo André Imagem: Divulgação
Segundo a polícia, Marcelo é dono de três empresas, duas no estado de São Paulo e outra em Santa Catarina. Duas empresas são do ramo da tecnologia, e outra é uma pizzaria em Santo André, na Grande São Paulo, onde Sebastião foi morto.

Uma das hipóteses levantadas para o crime, segundo o UOL apurou, é que o empresário teria se irritado com as atividades de "flanelinha" que Sebastião e outros moradores de rua exerciam nos arredores da pizzaria.

A namorada de Marcelo também está sendo investigada. Ela ainda não prestou depoimento, e a polícia não descarta sua participação no crime.

Em março, ainda de acordo com as autoridades, Marcelo foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e falsa identidade. Ele teria se apresentado como policial federal em um bar e revistado os clientes, conforme relatos de testemunhas. A polícia foi acionada, Marcelo foi detido, mas solto depois.

Outros envolvidos

O morador de rua Sebastião dos Santos foi morto na noite de um sábado, 11 de maio, com cinco tiros na rua Visconde de Mauá.Câmeras capturaram o momento em que um homem -- segundo a polícia, Marcelo ---- atira contra Sebastião e depois corre para entrar no carro.

A polícia ainda apura quem estava junto do atirador no carro, uma Mercedes GLK 280 avaliada em cerca de R$ 65 mil."Temos informações de quem pode ser, mas ainda não temos certeza", disse a delegada sobre o segundo participante do crime, supostamente um funcionário de Marcelo.

Ainda há a possibilidade de uma terceira pessoa, que poderia estar no banco de trás, ter participado do crime.

A delegada também afirmou que não recebeu informações do Exército sobre a regularidade das armas de fogo apreendidas. A arma do crime, provavelmente uma pistola, não foi apreendida.

Ainda não há conclusões sobre a motivação do crime. Segundo as investigações, Marcelo e Sebastião teriam se desentendido no dia do assassinato ou pouco antes.

Mais Cotidiano