Topo

Viúvas de músico e catador sobre militares soltos: 'abaladas e com medo'

Luciana Nogueira, viúva de Evaldo Rosa, quando foi ao IML para reconhecer o corpo do marido - Reprodução/TV Globo
Luciana Nogueira, viúva de Evaldo Rosa, quando foi ao IML para reconhecer o corpo do marido Imagem: Reprodução/TV Globo

Marina Lang

Colaboração para o UOL, no Rio

23/05/2019 20h34

O advogado das viúvas do músico Evaldo dos Santos Rosa e do catador Luciano Macedo disse ao UOL hoje que elas estão "muito abaladas e com medo" em decorrência da decisão do STM (Superior Tribunal Militar) de soltar nove militares -- réus pelo assassinato em uma ação no Rio que teve 200 disparos.

"Essas vítimas pobres, que não têm a proteção do Estado e inclusive foram vítimas dele, tinham hoje uma oportunidade de se verem protegidas e não foram, mais uma vez. A decisão deixa essas vítimas mais desprotegidas que já estavam", disse André Perecmanis, que representa Luciana Nogueira e Daiana Horrara, respectivamente viúvas de Evaldo e de Luciano.

Luciana Nogueira estava com o marido no carro indo a um chá de bebê com a família quando o carro foi alvejado por homens do Exército em abril. Ao menos 83 tiros acertaram o veículo, segundo a perícia.

O marido de Daiana tentou ajudar a família e foi baleado três vezes nas costas. Ele morreu no hospital dias depois devido aos ferimentos.

"A decisão deixa essas vítimas mais desprotegidas que já estavam. É muito provável que tanto elas quanto as testemunhas se sintam intimidadas e tenham medo [de depor no decorrer do processo]", afirmou Perecmanis..

"Acredito que elas estão em risco, mas, mesmo que não se faça nada com elas, o medo delas e das testemunhas já é um prejuízo ao processo", declarou ele, acrescentando que Luciana, viúva de Evaldo, passou mal ao depor na última terça - quando os militares ainda estavam presos.

Ele acrescentou que, devido ao receio provocado pelo resultado, as duas não vão conceder entrevistas.

Vídeo grava momento em que carro é fuzilado por militares

UOL Notícias

Decisão

Por 11 votos a 3, os ministros do STM (Superior Tribunal Militar) decidiram na tarde de hoje conceder liberdade aos nove militares envolvidos na ação. Eles foram denunciados pelo MPM (Ministério Público Militar) na Justiça Militar em 11 de maio.

Os nove militares são réus pelos crimes de duplo homicídio qualificado, tentativa de homicídio qualificado e por não terem prestado socorro às vítimas. Na última terça-feira (21), as viúvas de Evaldo e Macedo prestaram depoimento na Justiça Militar.

De acordo com as viúvas, os militares envolvidos na ação que matou seus maridos "debocharam" dos pedidos de socorro.

Mais Cotidiano