Topo

Padaria distribui pães gratuitos no RJ e clientes ajudam ato solidário

Cesto com pães que são distribuídos gratuitamente em Nilópolis - Divulgação
Cesto com pães que são distribuídos gratuitamente em Nilópolis Imagem: Divulgação

Pauline Almeida

Colaboração para o UOL, no Rio de Janeiro

29/05/2019 12h38

"Para você que hoje não tem condições de comprar o seu pão de cada dia, sinta-se à vontade". Assim uma padaria de Nilópolis, na Baixada Fluminense, anunciou uma iniciativa que vem gerando repercussão na rede e despertou uma corrente de solidariedade.

Há cerca de um mês, o estabelecimento que funciona há dois anos na Estrada Mirandela passou a distribuir pães gratuitamente. Um cesto foi colocado em frente ao local com um único pedido: "pegue apenas o necessário, somente aos que precisam".

A ideia partiu do proprietário Gustavo de Oliveira da Silva, após notar que estava descartando os pães que não eram vendido, em virtude da queda na procura. "Sobra muita coisa, mas na padaria se aproveita muita coisa, a gente faz torrada. Mas teve um dia que eu tive que descartar pães porque já tinha de tudo. Isso me doeu o coração. Por que então não doar para as pessoas? O pão ainda estava bom, fresco. Aí comprei o cesto e coloquei lá o projeto Pão Solidário", conta ao UOL.

Duas vezes por dia, às 10h e às 15h, pães frescos são colocados no cesto. E a demanda pelas doações já aumentou. Das 60 unidades colocadas no começo, agora o número subiu para 200, além de alguns pães doces e broas.

Segundo Gustavo, a ideia deu mais ânimo para a equipe que trabalha na padaria, envolvendo desde os padeiros - que produzem as doações - até o pessoal do atendimento, que zela para que a cesta esteja sempre arrumada.

Não há controle sobre o cesto, a utilização das doações fica a cargo da consciência de quem pega. Tem gente que leva até para o cachorro, mas o empresário acredita que vem ajudando trabalhadores com dificuldades de colocar o pão à mesa.

Próximo do estabelecimento existe um ferro-velho e os catadores, que passam com seus carrinhos cheios de peças à caminho de lá, já descobriram a ajuda, por exemplo. "O bairro aqui é bem tranquilo, de pessoas simples. Com esse índice de desemprego, a pessoa não tem como comprar o pão. Pelo menos estamos ajudando o próximo", acredita Gustavo.

Muitas pessoas passaram a compartilhar nas redes a iniciativa, com uma repercussão que surpreendeu o empresário. De acordo com ele, as vendas ainda não tiveram aumento, mas as doações sim vêm crescendo e o cesto deve passar a contar com novidades.

"Hoje mesmo uma cliente comprou R$ 2 em pão e colocou no cesto. Outra já me perguntou se pode trazer alimento não perecível e colocar aqui para doar. Se cada um fizer um pouquinho, a gente pode ajudar muito. Quem sabe a gente pode montar uma cesta básica e ajudar uma família daqui do bairro. Isso que eu queria despertar nas pessoas", ressalta.

Mais Notícias