Topo

Repórter da Globo é jogado no porta-malas em roubo, e carro é incendiado

Alexandre Santos

Colaboração para o UOL, em Salvador

19/06/2019 12h12Atualizada em 19/06/2019 16h33

Um repórter da Rede Bahia, afiliada da TV Globo em Salvador, viveu momentos de apuros ao ser trancado no porta-malas do próprio carro em chamas durante um assalto na zona rural da cidade de Esplanada, a 155 km de Salvador, na noite de segunda-feira (17).

Em seu relato à polícia, o jornalista Jony Torres contou que o veículo foi incendiado por dois homens. A dupla estava de moto e abordou-o pouco tempo depois de ele sair de sua fazenda para comer em uma loja de conveniência, por volta das 18h30.

Carro de Jony Torres teve perda total - Arquivo pessoal
Carro de Jony Torres teve perda total
Imagem: Arquivo pessoal
Jony disse que seguia por uma estrada de terra para um posto de combustível localizado na BR-101. Ao avistar uma ferrovia, precisou reduzir a velocidade do automóvel. Foi quando acabou surpreendido pelos assaltantes em uma motocicleta.

O jornalista detalhou que um dos suspeitos aparentava ser adolescente. "Eles entraram no carro e me fizeram dirigir com um arma apontada para a minha cabeça até uma plantação de eucalipto. Lá, me colocaram deitado no chão e começaram a exigir o celular", explicou em entrevista ao jornal Correio.

Jony respondeu aos criminosos que estava sem o aparelho -o qual havia esquecido na fazenda. Diante da agressividade da dupla, Jony então entregou a carteira com R$ 400. Segundo o jornalista, um dos homens chegou a apontá-lo como um policial, o que ele negou ao informar sua profissão.

Jony Torres conseguiu escapar de carro incendiado em assalto - Reprodução/Instagram/Jony Torres
Jony Torres conseguiu escapar de carro incendiado em assalto
Imagem: Reprodução/Instagram/Jony Torres
Sob a mira de uma arma, Jony foi obrigado a dirigir em meio a uma plantação de eucalipto. Em seguida, foi trancado no porta-malas. "Disseram: 'Vou lhe matar, p...'. Fiquei achando que me dariam um tiro, mas ele ainda disse: 'não vou gastar uma bala com esse filho da p...", afirmou.

A certa altura, ao ouvir que a moto se distanciava, Jony conseguiu deixar o carro pela saída do carona. Nesse momento, ele percebeu que o carro --modelo Nissan Tiida-- já pegava fogo na parte dianteira. "Jogaram cachaça no carro e tocaram fogo", explicou o repórter, cujo veículo teve perda total.

Ao UOL, a assessoria da Polícia Civil informou que o caso é investigado pela Delegacia Territorial de Esplanada, que realiza incursões para identificar e prender os dois suspeitos.

"Terror psicológico ainda me tira o sono"

Após os momentos de terror, Jony registrou um boletim de ocorrência. Em texto publicado nas redes sociais na manhã de hoje, o jornalista agradeceu o auxílio policial.

No texto, Jony também diz ser grato a manifestações de colegas de trabalho, amigos e espectadores. "Este talvez seja o momento mais difícil da minha vida pra mim e minha família. Estamos todos muito angustiados, com medo, mas confiantes que este pesadelo vai acabar e o mais rápido possível iremos retomar nossa rotina de vida. Eu estou bem, fisicamente eu só levei uns poucos 'tapas na cara', sai sem praticamente nenhum arranhão do assalto, mas o terror psicológico aplicado pelos assaltantes ainda me tira o sono", postou.

Cotidiano